Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[06/12/2018]
Febre amarela: Com baixa procura por vacinação, verão traz risco de novo surto
Estação mais quente aumenta risco de transmissão - por isso, a vacinação preventiva é fundamental. Atualmente, apenas 50% dos brasileiros estão protegidos
[05/12/2018]
Teste experimental permite detectar câncer em 10 minutos
De acordo com os pesquisadores, o teste teve precisão de 89%, ou seja, acertou a presença de células cancerígenas em 89 de cada 100 casos
[30/11/2018]
Sarampo volta a ameaçar com onda de hesitação em relação à vacina, alerta OMS
Em 2017 houve um aumento alarmante de 30% no número de casos da doença, que causou 110 mil mortes.
[29/11/2018]
Febre amarela: veja contraindicações e precauções da vacina
Reumáticos, gestantes e alérgicos precisam ponderar se risco da vacina é maior do que o da doença

+ mais   
Notícias

Apenas 2 minutos de HIIT equivale a meia hora de exercícios físicos moderados


25/09/2018


Apenas alguns minutos de exercícios físicos de alta intensidade (um treino também conhecido como HIIT) podem causar o mesmo efeito e resultado que um treino longo de meia hora, sugere um novo estudo.

Se a sua desculpa usual para pular os treinos é que você simplesmente não tem tempo, é melhor você encontrar um novo motivo – ou melhor ainda, entrar na academia. Pesquisadores da Universidade de Victoria, na Austrália, descobriram que dois minutos de corrida intensa em uma bicicleta foram tão bons para os participantes do estudo quanto um passeio mais lento de 30 minutos. A primeira regra do exercício, é claro, é: faça alguma coisa, se mexa.

Mas a gente está trabalhando mais do que nunca, e fazer exercícios físicos pode parecer um outro compromisso de tempo para o qual não temos espaço no calendário.Dois minutos, no entanto, é um tempo relativamente curto, e pode ser suficiente para manter seu corpo forte por mais tempo.

A maioria de nós olha para o espelho ou par a abalança para ter uma noção de quão eficazes são as nossas rotinas de treino. Os cientistas, por outro lado, olham para nossas células. Entre os benefícios celulares mais importantes dos exercícios físicos estão seus efeitos nas mitocôndrias, as organelas que produzem energia para as células externas.

À medida que envelhecemos, as mitocôndrias ficam mais lentas, gradualmente produzindo cada vez menos energia, então também começamos a desacelerar. Mas o exercício revigora as mitocôndrias, e a nova pesquisa sugere que isso pode acontecer ainda mais rápido do que pensávamos. Além disso, a atividade física também parece sinalizar que as mitocôndrias se replicam mais, criando mais fontes de energia para a célula. Um estudo de 2017 sugeriu que os efeitos do exercício sobre as mitocôndrias, assim como certas proteínas, poderiam finalmente explicar por que o exercício físico é tão bom para nós.

De acordo com o novo estudo da Victoria University publicado na American Physiological Society, pode não ser preciso muito para colher os benefícios. Os pesquisadores monitoraram oito voluntários adultos jovens enquanto tentavam cada um dos três planos de treinamento diferentes. Por um lado, eles pedalaram continuamente por 30 minutos, mas nunca por mais da metade do seu esforço máximo. Seguindo o modelo dos treinos modernos da HIIT (intervalo de alta intensidade), os participantes também fizeram cinco sessões de ciclismo de quatro minutos, pedalando com 75% da sua capacidade máxima. Cada sessão foi separada por um tempo de descanso e recuperação de um minuto. O grupo final fez quatro sprints, pedalando o mais rápido que pôde, mas apenas por 30 segundos de cada vez, com quatro e meio minutos de descanso entre eles. Quando os pesquisadores analisaram as mitocôndrias nos músculos das coxas dos participantes, viram que as células dos velocistas de 30 segundos estavam tão bem preparadas para duplicar quanto as células dos ciclistas de intensidade moderada. Isso sugere que o exercício pode ser prescrito de acordo com as preferências individuais, enquanto ainda gera sinais semelhantes conhecidos por conferir adaptações metabólicas benéficas, escreveram os autores do estudo. Essas descobertas têm implicações importantes para melhorar nossa compreensão de como o exercício pode ser usado para melhorar a saúde metabólica na população em geral, mesmo o mais preguiçoso de nós.

Fonte: Manual do Homem Moderno



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato