Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[21/01/2019]
Evolução da sífilis: quando se deve buscar ajuda
Entenda como a sífilis evolui e saiba quando procurar ajuda
[18/01/2019]
Cientistas desenvolvem molécula que pode tratar insuficiência cardíaca
A Samba foi desenvolvida por pesquisadores da USP nos últimos dez anos, e o teste em ratos se mostrou promissor para ajudar pacientes que sofrem da doença.
[15/01/2019]
Dorme menos de 6 horas por noite?
Estudo indica que você tem mais chances de ter problemas de saúde
[10/01/2019]
É arriscado beijar bebês recém-nascidos?
Veja que cuidados tomar na hora da visita

+ mais   


Novo remédio simplifica o tratamento da hemofilia


15/04/2016


Chega ao país o primeiro medicamento de longa duração contra a doença

A hemofilia é um distúrbio genético marcado por defeitos na produção dos fatores de coagulação do sangue — o que prejudica demais a cicatrização. Uma pessoa saudável carrega 13 proteínas que agem em cascata para estancar a perda do líquido vermelho. Já o hemofílico não fabrica a contento o fator 8 ou o fator 9 de coagulação. Com isso, pode sofrer grandes perdas de sangue, mesmo diante de ferimentos leves. A única forma de prevenir hemorragias nesses casos é oferecer os tais fatores de coagulação por meio de infusões nas veias, que são tomadas de duas a três vezes por semana — um tratamento, diga-se, muito desgastante. Mas um novo medicamento aprovado no Brasil deve facilitar a vida dos hemofílicos do tipo B, que têm deficiência no fator 9. Produzido pela farmacêutica Biogen, o fármaco é tomado apenas uma vez a cada sete dias. Essa é a primeira molécula de longa duração, considerada um dos maiores avanços no combate à doença dos últimos 17 anos, comemora Fabrício Carvalho, gerente médico da área de hematologia da Biogen.
Mais coisa boa por aí...

Outras três promessas devem virar realidade

• Fármacos
Há três remédios prontos para chegar ao mercado nos Estados Unidos. Inclusive, um fator de longa duração para a hemofilia A.

• Tchau, dor
Uma alternativa que avançou recentemente foram as injeções subcutâneas. Elas são mais cômodas e menos dolorosas que as infusões venosas.

• Edição do DNA
Consertar os trechos de genes que geram as falhas da hemofilia é a grande esperança de cura. A terapia gênica é aguardada para as próximas duas décadas.


Fonte: MdeMulher



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato