Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[21/09/2018]
Para onde vai a gordura que queimamos quando perdemos peso?
Pesquisadores da Austrália fizeram essa pergunta a 150 profissionais da área da saúde, e ficaram decepcionados com o que ouviram
[19/09/2018]
Veja como usar o bicarbonato de sódio na limpeza de casa
Se você ainda não possui um saquinho de bicarbonato de sódio em casa, você deve comprar já.
[18/09/2018]
Varizes e AVC: tem relação?
Especialistas tiram dúvidas no Bem Estar.
[17/09/2018]
1 em 5 homens e 1 em 6 mulheres terão câncer em algum momento da vida
Dados são do último relatório estatístico sobre a situação do câncer no mundo, da Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer.

+ mais   


Zika vírus e Olimpíadas: é preciso ter cuidado, mas não pânico


07/06/2016


Inverno reduz a circulação do mosquito que transmite o vírus, mas não muda a necessidade de prevenção

Às vésperas das Olimpíadas no Rio de Janeiro, a Organização Mundial de Saúde (OMS) informa que, sendo o Brasil um dos países onde ocorreu a infecção pelo Zika vírus, alguns cuidados especiais devem ser seguidos para evitar a transmissão do vírus.
Recomendações e necessidade de prevenção

As recomendações para prevenção do Zika incluem evitar picadas de mosquitos. Para isso, é indicado o cuidado com o ambiente ao redor para eliminar as áreas onde o mosquito possa se reproduzir, o uso de repelentes e roupas longas, e o uso de preservativos durante a relação sexual nas quatro semanas após o período em que possa ter havido contato com o vírus.

A OMS recomenda para mulheres grávidas praticarem sexo protegido durante toda a gestação, caso o parceiro tenha estado em áreas onde possa ter se infectado com o Zika. Mulheres grávidas ou que estejam tentando engravidar devem ter cuidado redobrado e fazer o pré-natal de forma regular.
Cuidado, mas sem pânico!

As Olimpíadas vão acontecer no inverno, quando habitualmente há menor circulação de mosquitos por conta das temperaturas mais baixas. Ainda assim, tomar cuidado nunca é demais, em especial para as gestantes, pois a microcefalia pode ter consequências graves e irreversíveis para o bebê.
Sobre o Zika

A doença é transmitida primordialmente por picada dos mosquitos Aedes aegypti e Aedes africanus, tendo sido também registrados casos de transmissão sexual (do homem infectado para sua parceira).

O período entre a picada e a doença, chamado período de incubação, varia de três a 12 dias. Embora os sintomas sejam leves e muitas vezes sequer percebidos - podendo haver ou não febre, dores no corpo ou na cabeça, conjuntivite e manchas na pele - ele causa grande preocupação pelo risco de microcefalia quando a infecção acontece em grávidas.

Outros eventos graves também associados ao Zika incluem a Síndrome de Guillain Barré, uma doença autoimune rara. Ela é caracterizada pela perda de força muscular, que, nos casos mais graves, pode causar dificuldade para respirar, sendo necessário tratamento em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O Zika foi inicialmente descrito em Uganda, tendo sido encontrado posteriormente em outros países da África, da Ásia e da América do Sul e Central. O vírus parece ter predileção por atacar células jovens e é inativado a temperaturas superiores a 60º C.


Fonte: Minha Vida



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato