Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[20/07/2018]
Sete casos de sarampo são confirmados no Estado
Todos os episódios têm ligação com a Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde foi registrado o primeiro caso da doença
[16/07/2018]
Doença sexualmente transmissível pouco conhecida se alastra e alarma médicos
Infecção bacteriana mycoplasma genitalium causa dores, secreções e, no caso das mulheres, pode levar à infertilidade
[06/06/2018]
Tratamento experimental curou câncer de mama em estágio avançado
O câncer, que já tinha se espalhado pelo corpo, foi derrotado pelas células da própria paciente – que foram colhidas, selecionadas, multiplicadas e reinjetadas
[04/06/2018]
Um em cada 4 adultos é sedentário, diz Organização Mundial da Saúde
OMS lança compromisso para diminuir falta de atividade física no mundo em 15% até 2030. Inatividade onera assistência em US$ 54 bilhões anuais, diz entidade.

+ mais   


Dente do siso: é importante extraí-los?


13/06/2016


O terceiro molar muitas vezes não encontra espaço na boca, não nascendo direito e causando problemas

O dente do siso, também conhecido como terceiro molar, nasce muito tardiamente, normalmente aos 18 anos, e nem sempre encontra espaço na boca. Por isso é comum ver adultos indo ao dentista para extraí-los. "Normalmente quando falta espaço na arcada dentária, esse dente tende a ficar mal posicionado, deitado ou torto, não nascendo ou apenas saindo parcialmente da gengiva", explica o cirurgião dentista Sidney Rafael das Neves, consultor técnico da Associação Brasileira de Cirurgiões Dentistas (ABCD). Nesses casos que a retirada destes dentes é necessária.

Quando esse processo ocorre a dor é comum e normalmente leva o paciente ao consultório do dentista mais rapidamente. No entanto, essa dor pode muitas vezes dar trégua, o que leva o paciente a adiar a cirurgia, muitas vezes por medo também. No entanto, não retirar esse dente quando indicado pode trazer diversos problemas. Veja os mais comuns:


• Apinhamento dos outros dentes

A maioria das pessoas não tem espaço para abrigar os sisos na arcada dentária e quando eles nascem, acaba forçando um novo espaço. "Sua erupção pode causar movimentação dos outros dentes, e quando existe falta de espaço os dentes podem girar e ficarem tortos", explica a odontologista Camila Lanfredi, mestre em Ciências Odontológicas. Esses dentes tortos, além de serem esteticamente ruins, podem acumular sujeira e bactérias, o que traz diversos problemas.


• Risco maior de gengivite e cáries

Um dos problemas desse mal posicionamento dos dentes é justamente o aparecimento da gengivite. "Isso pode dificultar a higiene oral, ocasionando o acúmulo de placa bacteriana", considera Camila. Além disso, o próprio dente do siso mal erupcionado está sob esse risco, já que o tecido da gengiva que encobre esse molar não está totalmente aderido e neste espaço entre pele e dente pode ocorrer acúmulo de alimentos e bactérias, causando cálculo dental (conhecido também como tártaro). Essas bactérias também podem causar cáries e problemas ainda mais sérios.


• Inflamação na região

Esse acúmulo de bactérias na região pode levar a uma inflamação. "Este quadro é conhecido como pericoronarite podendo causar dor intensa, edema e até limitar a abertura bucal", considera Camila. As bactérias começam a fazer processos de fermentação no dente e podem chegar à sua camada viva, a polpa. Se elas caírem na corrente sanguínea e a pessoa estiver com o sistema imunológico debilitado, essa inflamação pode se espalhar pelo organismo e até mesmo levar à morte, considera Neves.


• Abscessos

Essas inflamações com acúmulo de alimentos entre o dente e a gengiva ou mesmo as cáries podem trazer o aparecimento de pus na região, chamados de abcessos.


• Lesões císticas

Dentes do siso que não nascem também podem causar lesões chamadas de císticas. "Quando os dentes estão dentro da gengiva e totalmente encoberto por tecido ósseo, eles possuem um 'capuz' de composto de células embrionárias que envolve a coroa dos dentes, que pode se expandir e passar a ter conteúdo líquido em seu interior", descreve Camila Lanfredi. Quando essa lesão se expande, pode causar um cisto e levar à perda óssea, o que deixa a região mais fragilizada e até mesmo torna a mandíbula mais propensa a fraturas, como salienta Neves.


• Problemas nos dentes vizinhos

Além de causar o deslocamento dos outros dentes da arcada dentária, o siso pode causar destruição ou até a reabsorção do osso do dente ao seu lado. "Isso faz com que o segundo molar vá amolecendo e pode até cair. Ou seja, para não tirar um dente, você acaba perdendo outro", pondera Neves.


• Calcificação à longo prazo

Por fim, os dentes do siso podem se calcificar ao longo do tempo. "Isso é uma fusão entre a raiz e o dente do osso, tornando essas duas estruturas mais unidas. Como para a remoção do dente é necessário a separação entre estes dois tecidos, quando há calcificação a remoção do dente se torna muito difícil", explica Camila. Ou seja, além de trazer tantos problemas, demorar muito para tirar o siso torna o processo muito mais complicado


Fonte: Minha Vida



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato