Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


Mulheres na menopausa tendem a ter pressão mais elevada?


14/06/2016


Essa fase da vida cobra cuidados para que a hipertensão não dê as caras

Tanto mulheres quanto homens estão sujeitos a sofrer de hipertensão quando a maturidade chega. Mas, para elas, a menopausa é um complicador e tanto. Isso porque ocorre uma revolução hormonal em seu corpo: a linha de montagem do estrogênio está decretando aposentadoria. E a ausência dessa substância é sentida diretamente pelo endotélio, a camada interior dos vasos. Sem o hormônio, essa estrutura tende a ficar mais vulnerável a lesões e se contrair excessivamente.

Durante a menopausa, também fica mais difícil se livrar de quilos a mais, e já estamos cientes da má influência do excesso de peso na saúde cardiovascular, né? Além disso, o corte na cadeia hormonal predispõe a ansiedade e depressão, condições que, hoje se sabe, repercutem negativamente no trabalho e no bem-estar dos vasos.

O jeito é não bobear e se prevenir o mais cedo possível. Alguns itens não podem faltar na cesta básica para escapar dos aborrecimentos. Anote aí: menos sal, manutenção do peso, exercícios físicos, pequenos prazeres contra o estresse e, claro, visitas periódicas ao médico para checar a pressão. Na menopausa, o ginecologista ainda pode considerar a reposição hormonal para minimizar a falta do bendito estrogênio.

Fonte: Mdemulher



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato