Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[20/07/2018]
Sete casos de sarampo são confirmados no Estado
Todos os episódios têm ligação com a Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde foi registrado o primeiro caso da doença
[16/07/2018]
Doença sexualmente transmissível pouco conhecida se alastra e alarma médicos
Infecção bacteriana mycoplasma genitalium causa dores, secreções e, no caso das mulheres, pode levar à infertilidade
[06/06/2018]
Tratamento experimental curou câncer de mama em estágio avançado
O câncer, que já tinha se espalhado pelo corpo, foi derrotado pelas células da própria paciente – que foram colhidas, selecionadas, multiplicadas e reinjetadas
[04/06/2018]
Um em cada 4 adultos é sedentário, diz Organização Mundial da Saúde
OMS lança compromisso para diminuir falta de atividade física no mundo em 15% até 2030. Inatividade onera assistência em US$ 54 bilhões anuais, diz entidade.

+ mais   


Quais são os tratamentos mais eficazes para artrose nos joelhos?


16/08/2016


A demanda funcional (dor, função e idade) do paciente é que determina o tipo de reabilitação e a indicação de procedimentos minimamente invasivos de reabilitação e até procedimentos ortopédicos.

Frente a um paciente com o diagnóstico de osteoartrose, o médico deve estabelecer um programa terapêutico individualizado e multidisciplinar, objetivando reduzir os sintomas, melhorar a função e limitar incapacidades.


FASE INFLAMATÓRIA

A terapêutica inicial, na fase inflamatória, inclui repouso do joelho afetado, compressas de gelo para casos agudos, medicações anti-inflamatórias e meios físicos para analgesia e redução do processo inflamatório. Além disso, podem ser indicadas joelheiras para maior conforto do paciente.


ORIENTAÇÕES NUTRICIONAIS

A redução do percentual de gordura ( perda de peso) é OBRIGATÓRIO, tanto para reduzir sobrecarga nas articulações quanto para reduzir o processo inflamatório sistêmico presente na osteoartrose/ osteoartrite primária.
Além disso, o controle do diabetes e de outras doenças metabólicas é essencial.


ÓRTESES

Deve-se corrigir situações de desvio do joelho e pé plano, sempre que possível. Em casos selecionados, pode-se prescrever até mesmo palmilhas com cunhas anti- varo ou anti-valgo de tornozelo associadas a tornozeleira estabilizadoras. Há uma infinidade de joelheiras, cada uma com indicações precisas. Por exemplo, podem ser confeccionadas em fibras de carbono, com hastes laterais rígidas, visando um maior suporte, contenção e redução descarga de peso. Além das joelheiras confeccionadas em neoprene, há tecidos que incorporam biocerâmica às fibras, que teoricamente levam ao aumento do volume da microcirculação e do fluxo sanguíneo, auxiliando na resolução do processo inflamatório. As órteses também podem ser indicadas para repouso articular e posicionamento, prevenindo deformidades.


PROTEÇÃO ARTICULAR

- técnicas de auto- cuidados: por exemplo auto-massagem
- Usar uma almofada entre as coxa ao dormir,
- Não durma com o travesseiro embaixo dos joelhos, pois com uma deformidade em flexu de joelhos, deixando a perna aparentemente mais curta.
- evitar ficar na mesma posição ( em pé ou sentado) por muito tempo
- usar calçados adequados para absorver o impacto da marcha e que oferecem segurança no andar
- evitar subir e descer escadas/ rampas em excesso. Se necessário, preferir subir/descer em zigue-zague ou na diagonal
- subir primeiro o degrau com a perna não acometida
- colocar apoio na parede do banheiro para evitar escorregões
- evitar cruzar as pernas ao sentar
- para levantar de uma cadeira,aproxime-se da borda da cadeira e use a força dos braços
- evitar ajoelhar-se. Para rezar, por exemplo, faça-o sentado
- corrigir desalinhamentos posturais
- alternar afazeres com períodos de repouso
- usar bengala ou andadores, quando indicado, até a melhora da dor, com intuito de reduzir sobrecarga na articulação.


CINESIOTERAPIA

De qualquer modo, sempre há indicação da realização de exercícios terapêuticos supervisionados por um profissional capacitado, com enfâse:
- estimulação sensorial e conscientização corporal para melhorar posturas viciosas
- exercícios ativo assistidos para aumentar Amplitude de Movimento nos casos de limitação:
- exercícios de fortalecimento da musculatura global da articulação, restabelecendo o equilíbrio entre as cadeias musculares.
Se for necessário, iniciar com exercícios isométricos.
Realizar relaxamento pós isométrico.
Enfâse nos músculos comprometidos por pontos-gatilhos miofasciais.
Progedir conforme tolerância.
- progredir treino de fortalecimento de estabilizadores do joelho associado ao treino de propriocepção e equilíbrio.
- Muitos casos beneficiam-se da realização de exercícios terapêuticos dentro da piscina (hidroterapia ou hidroginástica).
- exercícios de condicionamento físico: Nos casos leves a moderados de osteoartrose, deve ser encorajada atividade física aeróbica, de baixo impacto, como a natação ou a hidroginástica. Além disso, exercícios em bicicletas e fortalecimento da musculatura do quadríceps, quando bem orientado, mostra bons resultados na osteoartrose de joelhos.

OUTRAS POSSIBILIDADES TERAPÊUTICAS CONSERVADORAS:
- Treino de fortalecimento em aparelho isocinético (CYBEX)
- Uso de Nitratos tópicos - em tendinoses
- Terapias manuais
- KinesioTaping
- Fitoterapia
- Suplementação nutricional


TERAPÊUTICA MEDICAMENTOSA

O tratamento medicamentoso depende de inúmeros fatores: grau de incapacidade dolorosa, tipo de componente da dor (aguda x crônica), sintomas comportamentais relacionados a dor, entre outros
- DOR AGUDA: analgésicos e anti-inflamatórios
- DOR CRÔNICA: Há inúmeras medicações que podem ser usadas na dor crônica secundária a osteoartrose. Por exemplo: antidepressivos tricíclicos (Amitriptilina, nortriptilina, entre outros) promovem o relaxamento muscular, aumentam a tolerância a dor, melhoram a qualidade do sono, O relaxante muscular de ação central (ciclobenzaprina) também pode ser usado, com efeitos semelhante a amitriptilina. Os antidepressivo inibidores de recaptação de serotonina (fluoxetina e paroxetina, entre outros) podem promover uma melhora nos distúrbios de ansiedade. Os neurolépticos fenotiazínicos (ex. clorpromazina) podem ser associados aos antidepressivos, com importante efeito no sistema límbico (emoções), efeito ansiolítico e relaxante muscular quando usado em associação. Os anticonvulsivantes também podem ser usados como neuromoduladores (aumentando a tolerância a dor) e em quadros específicos de dor. Os indutores do sono (Zolpidem) podem ser usados em alguns casos específicos para melhora) do padrão de sono e no desmame dos benzodiazepínicos (rivotril, diazepam, entre outros).
- MEDICAÇÕES MODIFICADORAS DA DOENÇA OSTEOARTRÍTICA - OSTEOARTRITE/OSTEOARTROSE


PROCEDIMENTOS TERAPÊUTICOS DE REABILITAÇÃO - MINIMAMENTE INVASIVOS

- Acupuntura
Considerada efetiva na redução da dor e da incapacidade funcional da osteoartrose de joelhos.
- Plasma rico em plaquetas
- Bloqueio de nervo femoral, safeno e paraespinhoso L3/L4
- Infiltração extra-articular (bursa, tendão e ligamentos)
- Infiltração intra-articular de joelho
- Viscossuplementação
-Infiltração de ácido hialurônico
- Inativação pontos - gatilho miofasciais comprometidos
- Mesoterapia
- Terapia por ondas de choque
PROCEDIMENTOS ORTOPÉDICOS (indicados em casos refratários e atletas de alto rendimento):
- via artroscopia
- via aberta

Ressalta-se que a dor nos joelhos podem ser altamente incapacitante. Após uma avaliação criteriosa do médico Fisiatra, elabora-se um plano terapêutico individualizado e todos os esforços devem direcionados ao controle da dor e da restauração funcional.

Em casos selecionados, pode-se indicar procedimentos de reabilitação ou até mesmo a avaliação do cirurgião ortopedista.

De qualquer forma, os procedimentos representam uma das etapas do processo de recuperação, mas não a única. Eles são uma das ferramentas para o sucesso do plano terapêutico de reabilitação do paciente, que sem dor, consegue iniciar os exercícios terapêuticos para restabelecer a função, modificando os fatores desencadeantes e os vícios posturais, com resultados mais eficazes.

Como em outras síndromes dolorosas crônicas, as orientações terapêuticas devem incluir mudanças de hábitos posturais inadequados em sono e vigília, hábitos alimentares e ingesta hídrica, exercícios terapêuticos, uso de medicamentos, entre outros.

Fonte: Minha Vida



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato