Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[15/03/2019]
Comer cogumelos duas vezes por semana reduz risco de perda de memória
Comer cogumelos ao menos duas vezes por semana pode ajudar a prevenir problemas de memória e fala em pessoas com mais de 60 anos.
[22/02/2019]
Minicérebros criados em laboratório no Rio têm até olhos
No futuro, testes dirão se os organoides podem enxergar; estruturas devem servir para entender doenças e avaliar medicamentos
[15/02/2019]
Gonorreia: por que a doença está ficando resistente a medicamentos
Bactéria responsável pela infecção sexualmente transmissível está desenvolvendo resistência aos antibióticos existentes
[14/02/2019]
Surto de febre amarela avança para Sudeste e Sul, alerta OMS
Em comunicado emitido em Brasília, entidade amplia área de vacinação para estrangeiros e aponta para terceira onda de contaminação

+ mais   


Stress no trabalho dobra o risco de diabetes em mulheres Ocupar cargos de baixa


27/08/2012


Mulheres que sofrem stress em seu local de trabalho e que ocupam cargos de baixa hierarquia correm um risco duas vezes maior de desenvolver diabetes do que as que não sofrem pressão profissional, segundo um estudo publicado esta semana no periódico Occupational Medicine. De acordo com Peter Smith, um dos autores do da pesquisa, as mulheres, diferente dos homens, costumam reagir ao stress comendo mais produtos com açúcar e gordura, o que eleva o risco da doença.

O estudo, feito no Instituto de Pesquisas sobre Trabalho e Saúde (IWH, na sigla em inglês) e no Instituto de Ciência Clínica Avaliativa (ICES, na sigla em inglês), ambos no Canadá, mostrou uma relação entre o grau de autonomia no trabalho e a incidência de diabetes na população feminina, como destacaram os autores no artigo. Ao todo, foram acompanhadas 7.443 pessoas em atividade durante nove anos. Os cientistas descobriram que a proporção de casos de diabetes devido ao stress profissional entre as mulheres foi de 19%. Esta cifra é superior às relacionadas com o tabagismo, a bebida, a atividade física ou o nível de consumo de frutas e verduras, mas menor que o risco representado pela obesidade.

Segundo os pesquisadores, outros motivos além da alimentação inadequada e do pouco gasto calórico explicam essa relação entre stress no trabalho e diabetes. Eles explicam que a doença se favorece por perturbações geradas no sistema neuroendocrinológico e no sistema imunológico, que provocam maior produção de hormônios como o cortisol e a adrenalina. A pesquisa não identificou, no entanto, a mesma relação entre os homens. De acordo com Smith, eles reagem de forma diferente ao stresse tanto no plano hormonal quanto nos hábitos de consumo.

Fonte: www.veja.abril.com.br



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato