Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[20/07/2018]
Sete casos de sarampo são confirmados no Estado
Todos os episódios têm ligação com a Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde foi registrado o primeiro caso da doença
[16/07/2018]
Doença sexualmente transmissível pouco conhecida se alastra e alarma médicos
Infecção bacteriana mycoplasma genitalium causa dores, secreções e, no caso das mulheres, pode levar à infertilidade
[06/06/2018]
Tratamento experimental curou câncer de mama em estágio avançado
O câncer, que já tinha se espalhado pelo corpo, foi derrotado pelas células da própria paciente – que foram colhidas, selecionadas, multiplicadas e reinjetadas
[04/06/2018]
Um em cada 4 adultos é sedentário, diz Organização Mundial da Saúde
OMS lança compromisso para diminuir falta de atividade física no mundo em 15% até 2030. Inatividade onera assistência em US$ 54 bilhões anuais, diz entidade.

+ mais   


Pesquisadores corrigem genes defeituosos em embriões humanos


02/08/2017




Após especulações sobre técnicas de edição em embriões humanos, a "Nature" publicou nesta quarta-feira (2) artigo que descreve detalhadamente como pesquisadores modificaram genes defeituosos em embriões humanos com técnica revolucionária de edição genética -- a Crispr, que permite a modificação precisa de genes.

A façanha é particularmente importante porque indica que o genoma humano pode ser modificado para a correção de doenças -- e, de fato, foi o que os cientistas almejaram. O artigo da "Nature" descreve que a técnica foi utilizada para a correção de uma mutação no gene MYBPC3, ligado a cardiomiopatia miotrófica, condição genética hereditária que dificulta o bombeamento do sangue.

Cientistas não "curaram" pessoas com a doença. Eles apenas demonstraram que isso pode ser possível já que a técnica foi aplicada em embriões humanos viáveis. Primeiro, utilizaram esperma de um doador que continha o gene para a doença cardíaca. Depois, fertilizaram óvulos de mulheres saudáveis com o material.

O feito já havia sido divulgado pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, sigla em inglês) na semana passada. Com a publicação da "Nature", no entanto, isso significa que a técnica foi referendada pela comunidade científica (já que o artigo foi revisado por outros cientistas antes da publicação).
Técnicas de edição do genoma humano é um feito há muito tempo almejado por cientistas, já que, teoricamente, isso indicaria que condições genéticas não mais serão uma "sentença" para toda a vida. Antes, cientistas chineses já reportaram a edição do DNA humano com sucesso e outros times de pesquisadores também pesquisam a utilização da técnica para correção do DNA em embriões.

Agora, melhorias importantes foram feitas para que a técnica se tornasse mais segura. Pesquisadores alertam, no entanto, que ainda há muito o que considerar para a aplicação clínica da técnica -- como a necessidade da reprodução do mesmo feito em outras mutações genéticas.

Implicações éticas
A edição do genoma antes do nascimento é um tema há muito debatido na sociedade pela possibilidade de abuso no uso da técnica -- como, por exemplo, a correção do DNA para determinadas predileções estéticas ou de raça.
Um relatório recente da Academia de Ciência, Engenharia e Medicina dos Estados Unidos defendeu que cientistas não deveriam utilizar a técnica ainda para editar embriões antes da gravidez. O uso no laboratório, no entanto, foi considerado aceitável pela entidade.

FONTE::G1 Globo



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato