Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[15/03/2019]
Comer cogumelos duas vezes por semana reduz risco de perda de memória
Comer cogumelos ao menos duas vezes por semana pode ajudar a prevenir problemas de memória e fala em pessoas com mais de 60 anos.
[22/02/2019]
Minicérebros criados em laboratório no Rio têm até olhos
No futuro, testes dirão se os organoides podem enxergar; estruturas devem servir para entender doenças e avaliar medicamentos
[15/02/2019]
Gonorreia: por que a doença está ficando resistente a medicamentos
Bactéria responsável pela infecção sexualmente transmissível está desenvolvendo resistência aos antibióticos existentes
[14/02/2019]
Surto de febre amarela avança para Sudeste e Sul, alerta OMS
Em comunicado emitido em Brasília, entidade amplia área de vacinação para estrangeiros e aponta para terceira onda de contaminação

+ mais   


Pesquisa brasileira encontra proteína capaz de inibir crescimento de tumor


25/09/2012


Uma pesquisa da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP) descobriu que um pedaço da proteína miosina Va pode ser eficiente no tratamento contra o câncer. De acordo com o estudo, essa proteína, que é responsável pelo transporte de algumas organelas do corpo, pode inibir o crescimento de tumores e reduzir em 30% a mortalidade pela doença em camundongos.

A tese de doutorado do biomédico Antônio Carlos Borges, orientada por Enilza Maria Espreafico, revelou que um fragmento da miosina Va, isolado, consegue barrar o crescimento do melanoma em modelo animal.

Para o estudo, foram criadas células tumorais com um pedaço de DNA responsável pela produção apenas deste pedaço da miosina. Essas células foram, então, usadas para induzir tumores em camundongos.

Após 28 dias, os pesquisadores perceberam que enquanto cerca de 90% dos animais com o fragmento de miosina continuavam vivos, apenas 60% do grupo controle haviam sobrevivido. Os tumores que foram controlados com a proteína também tiveram um crescimento em volume significativamente menor. "A introdução desse fragmento foi suficiente para matar células do melanoma, um câncer muito resistente aos tratamentos quimioterápicos", diz Borges em entrevista ao site de VEJA.

Este pedaço da proteína miosina Va provoca a redução do tumor, porque consegue desbloquear proteínas tóxicas existentes dentro da célula cancerosa. Em situações normais, estas proteínas levam células “com defeito” a cometer suicídio. Algumas células cancerosas, no entanto, perdem a capacidade de fazer esse controle, começam a se multiplicar e acabam dando origem ao tumor.

Fonte: www.veja.abril.com.br



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato