Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[15/03/2019]
Comer cogumelos duas vezes por semana reduz risco de perda de memória
Comer cogumelos ao menos duas vezes por semana pode ajudar a prevenir problemas de memória e fala em pessoas com mais de 60 anos.
[22/02/2019]
Minicérebros criados em laboratório no Rio têm até olhos
No futuro, testes dirão se os organoides podem enxergar; estruturas devem servir para entender doenças e avaliar medicamentos
[15/02/2019]
Gonorreia: por que a doença está ficando resistente a medicamentos
Bactéria responsável pela infecção sexualmente transmissível está desenvolvendo resistência aos antibióticos existentes
[14/02/2019]
Surto de febre amarela avança para Sudeste e Sul, alerta OMS
Em comunicado emitido em Brasília, entidade amplia área de vacinação para estrangeiros e aponta para terceira onda de contaminação

+ mais   


Vacina reduz em 50% infecções por HPV nos Estados Unidos


21/06/2013



A introdução de uma vacina para prevenir o câncer do colo do útero, em 2006, nos Estados Unidos, reduziu pela metade as infecções por HPV em mulheres jovens, informaram ontem autoridades de saúde dos EUA.

Os resultados foram melhores do que o esperado, segundo o relatório americano publicado no "Journal of Infectious Diseases". O HPV (vírus do papiloma humano) é sexualmente transmissível e pode causar câncer do colo do útero.

"Esse relatório deve servir como alerta para os EUA proteger a próxima geração, aumentando as taxas de vacinação contra HPV", disse em comunicado Thomas Frieden, diretor dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA.

Segundo Frieden, apenas um terço das mulheres americanas entre 13 e 17 anos tomaram todas as doses da vacina contra o HPV. Em Ruanda, 80% das meninas adolescentes foram vacinadas.

"Nossas taxas baixas de vacinação representam 50 mil tragédias evitáveis -50 mil meninas que estão vivas hoje vão desenvolver câncer do colo do útero durante a vida, que teria sido evitado se conseguíssemos vacinar 80% das adolescentes", disse Frieden.

O relatório usou dados de um grande estudo para comparar as taxas de infecção por determinados tipos de HPV entre mulheres com idades entre 14 e 19 anos no período de quatro anos antes da introdução da vacina (de 2003 a 2006) e após a sua introdução (de 2007 a 2010).

A redução no número de infecções foi de 56%, apesar da taxa baixa de imunização. Para os pesquisadores, isso pode ser resultado de um fenômeno chamado de "imunidade em grupo", quando indivíduos não vacinados também são beneficiados com a queda no número de infecções. Outra hipótese é que a vacina já tenha efeito mesmo entre mulheres que não receberam as três doses da droga -cerca de 49% das mulheres estudadas.

De acordo com os CDC, as infecções de HPV causam cerca de 19 mil casos de câncer por ano entre as mulheres nos Estados Unidos e o câncer do colo do útero é o tipo mais comum. Infecções por HPV também causam cerca 8.000 casos de câncer entre homens americanos.

As autoridades de saúde dos EUA recomendam a vacinação contra HPV para meninos e meninas de 11 e 12 anos de idade.


Fonte: Saúde Folha de São Paulo



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato