Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[15/03/2019]
Comer cogumelos duas vezes por semana reduz risco de perda de memória
Comer cogumelos ao menos duas vezes por semana pode ajudar a prevenir problemas de memória e fala em pessoas com mais de 60 anos.
[22/02/2019]
Minicérebros criados em laboratório no Rio têm até olhos
No futuro, testes dirão se os organoides podem enxergar; estruturas devem servir para entender doenças e avaliar medicamentos
[15/02/2019]
Gonorreia: por que a doença está ficando resistente a medicamentos
Bactéria responsável pela infecção sexualmente transmissível está desenvolvendo resistência aos antibióticos existentes
[14/02/2019]
Surto de febre amarela avança para Sudeste e Sul, alerta OMS
Em comunicado emitido em Brasília, entidade amplia área de vacinação para estrangeiros e aponta para terceira onda de contaminação

+ mais   


Células modificadas do sistema imune eliminam o melanoma em humanos


27/06/2013


Células modificadas do sistema imune eliminam o melanoma em humanos


Injeção com células dendríticas alteradas aumenta duração da resposta imune e reduz número de células do câncer circulantes

Cientistas da Duke University, nos EUA, demonstraram que células do sistema imunológico modificadas procuram e destroem o melanoma.

A equipe testou células dendríticas modificadas em um ensaio clínico com pacientes com o câncer de pele.

Todas as células expressam um complexo conhecido como o proteassoma, que atua como a coleta de lixo na célula. Existem dois tipos de proteassoma: proteasomas constitutivas (CPS), que são encontradas em tecidos normais, e immunoproteasomes (IPS), que são encontradas em células estressadas ou danificadas.

Em uma célula danificada, IPS gera fragmentos da proteína que são apresentados na superfície das células danificadas, provocando o reconhecimento pelas células dendríticas e subsequente destruição pelo sistema imunológico.

A maioria dos cânceres, incluindo o melanoma, expressam apenas CPS, tornando impossível para eles para expressar os fragmentos de proteínas que são reconhecidos pelo sistema imunológico.

Para tornar mais fácil para o sistema imunitário encontrar as células cancerosas, Pruitt e seus colegas criaram um tipo específico de célula imune, conhecida como célula dendrítica, que reconhece fragmentos de proteína de antígenos específicos do câncer criados por CPS. As células dendríticas modificadas foram então injetadas em pacientes que estavam em remissão do melanoma.

O estudo consistiu em quatro pacientes que foram vacinados com células dendríticas regulares, 3 pacientes que receberam células que foram submetidas a um tratamento de controle, e 5 pacientes que receberam as células dendríticas que reconheceram fragmentos de proteínas feitos pelo câncer.

A vacinação com todos os três tipos de células dendríticas induziu uma resposta imune que atingiu um pico após 3 a 4 injeções.

Os pacientes que receberam as células dendríticas especialmente modificadas apresentaram uma resposta imune de maior duração e menor número de células de melanoma circulantes. Dos dois pacientes que apresentavam a doença ativa, o tratamento com células dendríticas modificadas resultou em uma resposta clínica parcial em um e em uma resposta clínica completa no outro.

Estes resultados sugerem que a modificação de células dendríticas de modo que reconheçam antígenos tumorais produzidos por CPS aumenta o reconhecimento imune de células de melanoma.

Os resultados foram publicados no Journal of Clinical Investigation.



Fonte: ISaúde



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato