Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[21/01/2019]
Evolução da sífilis: quando se deve buscar ajuda
Entenda como a sífilis evolui e saiba quando procurar ajuda
[18/01/2019]
Cientistas desenvolvem molécula que pode tratar insuficiência cardíaca
A Samba foi desenvolvida por pesquisadores da USP nos últimos dez anos, e o teste em ratos se mostrou promissor para ajudar pacientes que sofrem da doença.
[15/01/2019]
Dorme menos de 6 horas por noite?
Estudo indica que você tem mais chances de ter problemas de saúde
[10/01/2019]
É arriscado beijar bebês recém-nascidos?
Veja que cuidados tomar na hora da visita

+ mais   


Células modificadas do sistema imune eliminam o melanoma em humanos


27/06/2013


Células modificadas do sistema imune eliminam o melanoma em humanos


Injeção com células dendríticas alteradas aumenta duração da resposta imune e reduz número de células do câncer circulantes

Cientistas da Duke University, nos EUA, demonstraram que células do sistema imunológico modificadas procuram e destroem o melanoma.

A equipe testou células dendríticas modificadas em um ensaio clínico com pacientes com o câncer de pele.

Todas as células expressam um complexo conhecido como o proteassoma, que atua como a coleta de lixo na célula. Existem dois tipos de proteassoma: proteasomas constitutivas (CPS), que são encontradas em tecidos normais, e immunoproteasomes (IPS), que são encontradas em células estressadas ou danificadas.

Em uma célula danificada, IPS gera fragmentos da proteína que são apresentados na superfície das células danificadas, provocando o reconhecimento pelas células dendríticas e subsequente destruição pelo sistema imunológico.

A maioria dos cânceres, incluindo o melanoma, expressam apenas CPS, tornando impossível para eles para expressar os fragmentos de proteínas que são reconhecidos pelo sistema imunológico.

Para tornar mais fácil para o sistema imunitário encontrar as células cancerosas, Pruitt e seus colegas criaram um tipo específico de célula imune, conhecida como célula dendrítica, que reconhece fragmentos de proteína de antígenos específicos do câncer criados por CPS. As células dendríticas modificadas foram então injetadas em pacientes que estavam em remissão do melanoma.

O estudo consistiu em quatro pacientes que foram vacinados com células dendríticas regulares, 3 pacientes que receberam células que foram submetidas a um tratamento de controle, e 5 pacientes que receberam as células dendríticas que reconheceram fragmentos de proteínas feitos pelo câncer.

A vacinação com todos os três tipos de células dendríticas induziu uma resposta imune que atingiu um pico após 3 a 4 injeções.

Os pacientes que receberam as células dendríticas especialmente modificadas apresentaram uma resposta imune de maior duração e menor número de células de melanoma circulantes. Dos dois pacientes que apresentavam a doença ativa, o tratamento com células dendríticas modificadas resultou em uma resposta clínica parcial em um e em uma resposta clínica completa no outro.

Estes resultados sugerem que a modificação de células dendríticas de modo que reconheçam antígenos tumorais produzidos por CPS aumenta o reconhecimento imune de células de melanoma.

Os resultados foram publicados no Journal of Clinical Investigation.



Fonte: ISaúde



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato