Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


MANTENHA A DOR DE CABEÇA LONGE DE VOCÊ


06/08/2013



Você vive sofrendo com aquela pontada dolorida na cabeça, uma pressão contínua que se reflete no pescoço e acaba com seu bom humor? Saiba que você não está sozinho! “No Brasil, cerca de 75% das pessoas sofrem cotidianamente de cefaleia, o nome científico da dor de cabeça”, conta o neurologista Deusvenir de Souza Carvalho, chefe do Setor de Investigação e Tratamento das Cefaleias da Unifesp.

O problema é que, diante do mal-estar, muita gente opta por tomar um analgésico — uma solução imediata, porém incorreta. “O hábito de tomar remédios corriqueiramente é um grande erro, pois o consumo excessivo de substâncias destinadas a aliviar a dor causa uma reação contrária no organismo. É o que chamamos de efeito rebote, porque, em vez de melhorar o incômodo, o medicamento acaba agravando a situação”, alerta o neurologista. Por isso, se você costuma sofrer de cefaleia, o ideal é procurar um médico para avaliar quais suas causas e seguir o tratamento indicado por ele.

Prevenir é possível

De acordo com Deusvenir, alguns hábitos saudáveis podem ajudar a reduzir as crises:

— Alimente-se bem e evite ficar muito tempo em jejum.

— Acostume-se a ir para a cama sempre no mesmo horário e dormir, no mínimo, oito horas por dia.

— Pratique atividade física regularmente: “Quando você faz exercícios, libera endorfina, o hormônio que alivia dores e proporciona a sensação de bem-estar”.

— Evite o consumo exagerado de café. “Beba, no máximo, três xícaras por dia”, avisa o médico.

— Relaxe! O estresse gera tensão muscular, desencadeando dores na cabeça e no pescoço.

— Fique atento à postura. Preste atenção no modo como você se senta e deita: respeite a curvatura natural de suas costas e evite esforços exagerados. “A sobrecarga nas regiões lombar e cervical se reflete nos músculos da cabeça a ponto de aumentar o desconforto”, alerta o neurologista.



Fonte: Portal Vital



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato