Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


Teste do Pezinho: mais de 71 mil exames realizados nos cinco primeiros meses de


06/06/2012


No Dia Nacional do Teste do Pezinho, comemorado em 06 de junho, especialistas alertam que o exame deve ser feito entre o terceiro e quinto dia de vida do bebê para que seja possível identificar o quanto antes patologias e iniciar o tratamento médico antes de o bebê completar 30 dias de vida. Só este ano, o Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione (IEDE) já realizou 71.902 teste de janeiro a maio.

Em 2011, foram realizados 158.939 exames, sendo que, em 125 pacientes, foi detectada doença falciforme e 7.726 apresentaram traço falcêmico. Considerado como um dos principais exames feitos em recém-nascidos, o Teste do Pezinho é capaz de diagnosticar três tipos de doenças: hipotireidismo congênito, fenilcetonúria e doença falciforme.

Nos últimos 12 anos, o Setor de Triagem Neotal do Hemorio realizou 1.505.094 e, atualmente, há 1.168 pacientes em tratamento com a doença falciforme e 73.328 registros com o traço falcêmico (traço de hemoglobina). No estado do Rio de Janeiro, um paciente a cada 1.288 tem a doença falciforme, que é hereditária e tem como um dos principais sintomas a anemia crônica, icterícia e crises dolorosas nos ossos, músculos e circulações.

Todos os testes da rede pública do Estado do Rio de Janeiro são enviados para análise no IEDE, referência em triagem neonatal e o único credenciado pelo Ministério da Saúde para realizar este procedimento.

Em caso de o resultado ser positivo para alguma das três doenças, o IEDE contacta a família para que o tratamento seja iniciado o quanto antes. Pacientes com hipotireidismo congênito ou fenilcetonúria são tratados no próprio Instituto. Eles recebem medicamentos e alimentação (leite), além de serem acompanhados por médicos, psicólogos, nutricionistas e assistente social. Se ficar constatada a doença falciforme, é feito o encaminhamento para o Hemorio. Mensalmente, o IEDE realiza, em média, 15 mil análises.

fonte: www.riocomsaude.rj.gov.br



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato