Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[15/03/2019]
Comer cogumelos duas vezes por semana reduz risco de perda de memória
Comer cogumelos ao menos duas vezes por semana pode ajudar a prevenir problemas de memória e fala em pessoas com mais de 60 anos.
[22/02/2019]
Minicérebros criados em laboratório no Rio têm até olhos
No futuro, testes dirão se os organoides podem enxergar; estruturas devem servir para entender doenças e avaliar medicamentos
[15/02/2019]
Gonorreia: por que a doença está ficando resistente a medicamentos
Bactéria responsável pela infecção sexualmente transmissível está desenvolvendo resistência aos antibióticos existentes
[14/02/2019]
Surto de febre amarela avança para Sudeste e Sul, alerta OMS
Em comunicado emitido em Brasília, entidade amplia área de vacinação para estrangeiros e aponta para terceira onda de contaminação

+ mais   


Mitos e verdades de uma dieta saudável


09/09/2013



A preocupação por uma alimentação saudável sempre rendeu estudos e pesquisas que comprovassem os benefícios e malefícios dos alimentos. Nessa busca, muitos mitos foram se criando sobre o que poderia fazer parte ou não da alimentação balanceada. Assim, buscando entender melhor estes mecanismos e encontrar evidências científicas mais concretas, a ciência não apenas desmistificou alguns destes conceitos, mas também encontrou possíveis benefícios à saúde provenientes do consumo adequado de certos alimentos. E é por isso que alguns mitos relacionados ao ovo, a cerveja, ao chocolate e ao café precisam ser revistos.

Tradicionalmente excluído de qualquer dieta considerada mais saudável, o ovo foi visto durante muito tempo como alimento prejudicial à saúde, em particular do coração, pois acreditavam que era responsável por elevar os níveis de colesterol. No entanto, recente análise publicada este ano no British Medical Journal concluiu que, apesar do ovo conter colesterol em sua composição (em média 178mg por unidade), o colesterol proveniente através da alimentação pouco interfere em sua concentração no sangue. Além disto, vale destacar que trata-se de um alimento interessante sob o ponto de vista nutricional, fonte de vitaminas e minerais, com destaque para A, D e do complexo B. A clara é fonte de albumina, uma proteína de alto valor biológico e a gema contém antioxidantes relacionados à saúde dos olhos e dos neurônios.

Paixão do brasileiro, a cerveja também tem ganhado espaço dentre os alimentos com potenciais benefícios à saúde, pois é uma das bebidas com menor concentração de álcool. Outro fato que recentemente chamou atenção foi o benefício das propriedades antioxidantes presentes, principalmente, no lúpulo – ingrediente da bebida. Estudos ainda mostram que o consumo moderado (1 dose para mulheres e 2 para homens), quando associado a um estilo de vida saudável, apresenta impactos positivos na prevenção de doenças cardiovasculares. Além disso, pesquisadores de Harvard verificaram aumento positivo dos valores do colesterol bom (HDL) nas pessoas que consumiram cerveja.

O chocolate, que popularmente sempre esteve relacionado a hábitos alimentares não saudáveis, também tem mostrado seu potencial benéfico em um estilo de vida equilibrado. Atualmente, com a investigação científica mais avançada, sabe-se que o chocolate é um alimento com características antioxidantes importantes, que pode ser atribuído em sua maior parte pela presença de compostos fenólicos. Pesquisas recentes mostraram um efeito benéfico do chocolate no envelhecimento, estresse oxidativo, regulação da pressão arterial e aterosclerose, além de parecer desempenhar papel na inflamação.

E para fechar com o cafezinho, o companheiro de todos os dias já passou por muitas críticas por aí. Os motivos iam desde problemas gastrointestinais, prejuízos na absorção de nutrientes importantes como cálcio, ferro e vitamina C, até dores de cabeça e arritmias. No entanto, pesquisadores desvendaram que a grande quantidade de antioxidantes presentes em sua composição auxilia no combate aos radicais livres e consequentemente beneficia a saúde dos seus consumidores, inclusive reduzindo os riscos para diversas doenças crônicas não transmissíveis, como as do coração. Além disto, pesquisas já apontaram para um efeito positivo do seu consumo em respostas neurológicas, ou seja, estimulando foco e atenção.


Fonte:Saúde Paranashop



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato