Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


Alergias: por que existem? Quais são as causas? Como evitar ou tratar?


19/09/2013



• O que são alergias?

Alergias são respostas exageradas do sistema imunológico a substâncias estranhas ao organismo e que geram uma hipersensibilidade a um estímulo externo específico (alergenos). Elas também podem acontecer pelo contato da pele com determinados objetos, como pulseiras de plástico, metal ou couro, óculos, botões de metal, elásticos e esmalte.

As substâncias geralmente são inaladas, ingeridas, injetadas ou colocadas em contato com a pele. Pode haver também hipersensibilidade congênita ou hereditária. Quando o organismo apresenta uma reação de hipersensibilidade, diz-se que ele está sensibilizado. As reações alérgicas são bastante específicas a um determinado estímulo e o organismo sensibilizado só reage a ele ou a outros de estrutura muito semelhante. Uma substância que cause alergia em determinada pessoa, não necessariamente causa alergia em outra. Quando os alergenos entram em contato com o organismo, as células produtoras de anticorpos são ativadas e determinam a liberação de mediadores potentes, principalmente histamina, que acabam por provocar os sintomas alérgicos.


• Por que existem as alergias?

A imunoglobulina é uma proteína normalmente circulante no sangue. Quando ela identifica algum agente invasor estranho ao organismo ela reage imediatamente, fixa-se a ele e libera histamina, que é a substância que determina os sintomas alérgicos.

Deve-se diferenciar entre alergia e intolerância. Alergia ocorre quando o sistema imunológico “acredita” que uma substância inofensiva seja perigosa e reage a ela com sintomas típicos. Na intolerância ocorrem reações adversas que não envolvem o sistema de defesa. Essas reações acontecem, sobretudo, na esfera alimentar.


• Quais são os tipos principais de alergias?

Os tipos mais comuns de alergias são: alergias alimentares (leite de vaca, ovos, amendoim, soja, peixes e frutos do mar, nozes); alergias da pele (lesões dermatológicas com prurido intenso); alergias nasais (conhecida como rinite alérgica); alergias respiratórias (devido a alergenos e irritantes das vias aéreas, infecções, exercícios físicos inadequados, refluxo gastroesofágico, medicações e alimentos, causas emocionais); alergias oculares, das quais a conjuntivite alérgica é a mais comum. Existem também alergias mais incomuns e até mesmo bizarras, como a perfumes, ao sêmen, à agua, ao sol, à madeira, ao contato com o filho recém-nascido, etc.


• Quais são as causas principais das alergias?

As causas da alergia são principalmente constitucionais.

As crises alérgicas são desencadeadas por certos elementos disparadores, sendo os principais: poeira; ácaros e baratas; mofo (fungos); pele e pelos de animais (gatos e cães); esporos de fungos e pólens de flores; picadas de insetos; alimentos e medicamentos.


• Quais são os sinais e sintomas principais das alergias?

Entre os sinais mais comuns de alergia, contam-se: inchaço da mucosa nasal (rinite alérgica); olhos vermelhos e coceira da conjuntiva (conjuntivite alérgica); respiração difícil e dispneia (asma, alergia respiratória); erupções como eczema, urticária e dermatite de contato (alergia de pele).

As manifestações clínicas da alergia variam muito, desde um simples lacrimejamento ou coceiras, até doenças autoimunes graves (lúpus eritematoso, asma brônquica, etc.). Na pele, as alergias podem se manifestar como urticárias, dermatites ou eczemas. Nas vias aéreas podemos ter rinite alérgica, coceiras no nariz, surtos de espirros, coriza e congestionamento da mucosa nasal. A alergia pode acometer ainda o sistema digestivo, causando náuseas, cólicas, vômitos e diarreias. Enfim, o fenômeno alérgico pode afetar qualquer órgão humano.

Alguns sintomas alérgicos são potencialmente graves e até mortais como, por exemplo, o edema de glote (que pode obstruir a respiração). A resposta alérgica sistêmica é chamada de anafilaxia e dependendo da severidade ela pode causar reações graves e, inclusive a morte.


• Como é o tratamento das alergias?

A alergia não tem cura, mas pode ser controlada. O tratamento das alergias visa aliviar os sintomas, afastar o paciente do alergeno (substância causadora da alergia) e, em casos selecionados, induzir tolerância a ele.

Na fase aguda, o tratamento é feito com antihistamínicos e corticoides por via intramuscular ou endovenosa. Nas alergias respiratórias pode-se fazer também nebulização com substâncias que dilatam os brônquios. Outros medicamentos apenas sintomáticos podem e devem ser prescritos conforme a necessidade de cada pessoa.

Na fase crônica, o tratamento consiste na imunoterapia específica ou dessensibilização, que é uma forma terapêutica em que o paciente de início recebe doses mínimas do alergeno, que vão aumentando gradualmente, visando dessensibilizar o organismo a ele.

A imunoterapia específica é o único tratamento capaz de modificar o curso natural da doença.


• Como prevenir as alergias?

A melhor atitude com relação às alergias é a prevenção. Um ambiente limpo e bem arejado é um bom começo para prevenir esta condição. De um modo geral, deve-se evitar contato com os alergenos. As alergias respiratórias podem ser agravadas pela má qualidade do ar que respiramos e por isso é importante procurar evitar os locais com grande índice de poluição aérea.



Fonte:ABC MED



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato