Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


Sabia que o uso de telas digitais pode provocar problemas de visão?


11/10/2013



O futuro parece nebuloso, fruto da parafernália tecnológica que veio para facilitar nossa vida. Preserve sua visão num mundo cada vez mais digital

Se ao fim da jornada de trabalho seus olhos estão inexpressivos como aqueles de zumbis de filmes de terror, cuidado. Pode estar na hora de rever seu vício por apetrechos digitais. Batizado de CVS (em inglês, computer vision syndrome), o problema afeta cerca de 90% dos americanos que passam mais de 2 horas seguidas com os olhos grudados em uma tela - de computador, smartphone ou tablet. Com o crescimento dos brinquedinhos eletrônicos, o interesse em torno da síndrome, relatada em revistas médicas desde 1995, não para de crescer.

"Não há estatísticas no Brasil, mas nos consultórios de oftalmologia a CVS está entre as três queixas mais frequentes, ao lado da dificuldade de enxergar e irritação nos olhos", afirma o oftalmologista Eduardo Melani Rocha, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (SP). "O problema atinge principalmente pessoas na idade produtiva, mulheres e usuários de lentes de contato." Sensação de areia na vista, olhos ou pálpebras pesados, dor de cabeça e embaçamento visual, queixas antes relacionadas à televisão, são sintomas da síndrome.

Um estudo com 360 crianças conduzido pelo oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, em Campinas (SP), constatou uma relação entre o uso diário do micro por 12 a 14 horas e aumento de dor de cabeça, olho seco e miopia transitória. Enquanto a incidência dessas queixas atinge 12% da população nacional, segundo dados do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, no grupo estudado ela alcançou 21%. A miopia transitória é a dificuldade para enxergar de longe por causa de um turvamento da visão que pode durar meses ou tornar-se permanente caso os hábitos não sejam modificados.


• OLHO POR OLHO

"Nossos olhos evoluíram para ver imagens tridimensionais", afirma a oftalmologista Andrea Thau, da Associação Americana de Optometria. "Temos de fazer um esforço excessivo para enxergar imagens 3D em telas 2D." Os gadgets alteram o funcionamento natural dos olhos e geram desconforto. Em frente à tela, você se esquece de piscar: o número de piscadas cai das normais 20 para seis vezes por minuto. A frequência reduzida desse ato involuntário, essencial para eliminar secreções e poluentes da superfície ocular, abre caminho para olhos secos e irritados, mais suscetíveis a infecções. Além disso, olhos abertos por mais tempo e em locais secos aumentam a evaporação lacrimal, responsável pela oxigenação, nutrição e defesa da área ocular.

Outro problema é o uso excessivo da musculatura responsável pela visão de perto (que faz a acomodação), o que gera fadiga. O ponto natural de foco está 6 m de distância à frente da face. Convenhamos, ninguém se senta a essa distância do computador, muito menos de um tablet. A tela costuma ficar a menos de 60 cm do nariz, forçando o anel muscular dos olhos a se contrair para redirecionar o foco. Se você mantém o olhar fixo em algum monitor digital por horas, esses músculos podem não conseguir relaxar mesmo se você olhar para outro lado. O resultado é visão embaçada, um dos principais sintomas da CVS, que desaparece em poucos segundos. Para especialistas, se você atinge esse ponto muitas vezes ao dia, na maioria dos dias da semana, a miopia transitória talvez se torne permanente. Ainda está em discussão se o problema é reversível.


• TELA QUENTE

Aposte nas recomendações do oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, para usar o computador sem lesar os olhos:

1. Posicione o monitor entre 10 e 20° abaixo do nível dos olhos.

2. Cheque se a distância entre a tela e seus olhos é de 60 cm.

3. Não deixe o monitor nem de frente para a janela, pois a luminosidade causa ofuscamento, nem de costas, porque sombras e reflexos geram desconforto.

4. Dê preferência a monitores grandes. Quanto maior ele for, menor o cansaço.

5. Para monitores de LCD, escolha os que têm a partir de 17 polegadas. Só os desse tamanho reduzem o cansaço visual.

6. Evite excesso de luminosidade, tanto das lâmpadas como da luz natural. A contração das pupilas gera cansaço visual.

7. Regule a tela com o máximo de contraste, e não de luminosidade.

8. Mantenha a tela limpa.

9. Descanse a cada 20 minutos, saindo da frente do computador.

10. Pisque voluntariamente quando usar o micro.

11. Aumente o tamanho da letra no monitor.


• VISÃO AGUÇADA

Você tem mais chance de precisar de óculos se seu pai e sua mãe usam o acessório. Mas veja o que fazer para prolongar a visão:


• Proteja-se dos raios UV

A exposição frequente eleva seu risco de catarata e melanoma. Menos de um em cada três brasileiros associa o sol a danos oculares, revelou uma pesquisa feita pelo Ibope a pedido da Transitions Optical. Tome sol com óculos que bloqueiem 100% dos raios UVA e UVB.


• Apague o cigarro

As baforadas provocam o estreitamento dos vasos em todo o corpo - e também nos olhos, elevando o risco de degeneração macular e outros danos ao nervo óptico.


• Aposte nos antioxidantes

Esses elementos compõem a mácula, estrutura central da retina. Consuma alimentos como frutas cítricas (fontes de vitamina C), gérmen de trigo, semente de girassol e mamão (ricos em vitamina E) e castanha-do-pará, fonte de selênio. Abuse também dos carotenoides, que fornecem luteína, como folhas verdes.


• Guarde os colírios contra vermelhidão

Embora sirvam para camuflar uma ressaca, eles diminuem o aporte de sangue para os olhos. Seu uso excessivo causa irritação e danifica a córnea.


• Visite o oftalmologista uma vez por ano

Ele pode notar alterações e doenças como glaucoma (a elevação da pressão intraocular), além de ajudar com dicas de como combater a CVS especificamente no seu caso.



Fonte: MdeMulher



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato