Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


Cuide dos olhos no verão com essas sete dicas


05/12/2013


Cuide dos olhos no verão com essas sete dicas


Evitar coçar e ter um colírio lubrificante à disposição é essencial

A estação mais esperada do ano por quem gosta de calor, praia e piscina também tem seus problemas. É nesta época que costumam acontecer epidemias de conjuntivite, já que as altas temperaturas favorecem a multiplicação dos micro-organismos responsáveis pela doença. O período também fica marcado pelos olhos vermelhos e irritados de quem entra no mar ou na piscina. Para completar, muita gente ainda sofre com a claridade e muitas vezes fica em dúvida sobre como proceder. Felizmente, esses e outros desconfortos podem ser evitados com cuidados simples. Confira quais são eles e aproveite o verão sem deixar a saúde de lado.


1- Banho de mar

"A irritação mais frequente após o banho de mar é a conjuntivite", afirma a oftalmologista Keila Monteiro de Carvalho, coordenadora da Pós Graduação em Oftalmologia FCM/UNICAMP. Por isso, ela recomenda usar um colírio lubrificante ao sair do mar e não coçar os olhos, evitando, assim, o risco de lesões por agentes que estejam na superfície ocular. Lembre-se ainda de retirar as lentes de contato antes de mergulhar. Elas podem ser contaminadas com a sujeira da água, favorecendo infecções.


2- Piscina

Embora pareçam limpas, piscinas costumam ser usadas por diversas pessoas e ainda são alvo de inúmeros produtos químicos. Por isso, a oftalmologista Denise Fornazari Oliveira, da Unicamp, recomenda o uso de colírios lubrificantes ao sair da água. "Algumas pessoas são tolerantes a esses agentes e não apresentam qualquer desconforto mesmo mergulhando de olhos abertos, mas isso não é regra", explica. Ela alerta ainda para que as lentes de contato sejam retiradas antes de entrar na piscina para evitar sua contaminação.


3- Sol forte

Na falta de óculos de sol, invista em bonés ou permaneça na sombra para evitar o desconforto ocular. "Contrair os olhos também é um método de proteção natural do corpo, já que a ação é reflexa e involuntária", aponta a oftalmologista Keila. Isso reduz a entrada de luz nos olhos, promovendo mais conforto para quem está exposto ao sol.


4- Óculos escuros

"Óculos escuros sem filtro de raios ultravioletas podem prejudicar os olhos, por isso, não invista em produtos de procedência duvidosa", afirma a oftalmologista Denise. Segundo ela, o conforto proporcionado pela redução da luminosidade faz com que nossos olhos fiquem mais vulneráveis, caso não haja proteção adequada. Por isso, na dúvida prefira bonés, uma sombra ou mesmo a exposição direta.


5- Filtro solar

O contato dos olhos com o filtro solar costuma causar ardência e irritação, por isso, fique atento na hora de espalhar o produto no rosto. "Prefira versões mais concentradas ou que sejam específicas para essa região mais sensível", recomenda a oftalmologista Denise. A especialista afirma, entretanto, que não há grande perigo decorrente da interação e que lavar o rosto com água corrente ou usar colírios lubrificantes já é o suficiente para aliviar o desconforto.


6- Cisco

"Por mais tentada que a pessoa fique, ela deve evitar coçar os olhos quando sentir um cisco, pois há risco de lesões na superfície ocular", diz a oftalmologista Keila. O que fazer? Usar um colírio lubrificante e, caso o problema não seja resolvido, dirigir-se a um pronto-socorro para que o médico remova o cisco com material esterilizado que não expõe o paciente ao risco de infecções. "Após a retirada do cisco, é comum a realização de um curativo ocular oclusivo que favorece a cicatrização da lesão por 24 horas", explica.


7- Suor

Até mesmo nosso próprio suor pode gerar irritações oculares. "As sobrancelhas impedem que a água escorra, mas com o aumento da transpiração, decorrente da prática de exercícios, por exemplo, isso se torna inevitável", aponta a oftalmologista Denise. Para evitar o problema, vale apostar em faixas, como a que os jogadores de tênis usam, ou contar com uma toalhinha para evitar que o suor escorra.


Fonte: Minha Vida



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato