Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


Efeitos do autismo podem ser minimizados com intervenções precoces


17/12/2013



Estudo consegue identificar marcadores para doença a partir dos dois meses de idade, antes do declínio das habilidades sociais

O contato com os olhos durante a primeira infância pode ser a chave para a identificação precoce de autismo, de acordo com um estudo financiado pelo Instituto Nacional de Saúde Mental (NIMH) dos Estado Unidos. Publicado semana passada na revista Nature, o estudo revela o primeiro sinal de desenvolvimento do autismo seria um declínio constante na fixação dos olhos do segundo ao sexto mês de vida.

O autismo geralmente é diagnosticado depois de 2 anos de idade, quando os atrasos no comportamento social e habilidades linguísticas de uma criança se tornam aparentes. Este estudo mostra que crianças apresentam claros sinais de autismo em uma idade muito mais jovem, disse Thomas R. Insel, diretor do NIMH. "Quanto mais cedo formos capazes de identificar marcadores precoces para o autismo, as intervenções de tratamento podem ser mais eficazes."

Crianças com desenvolvimento típico começam a focar rostos humanos nas primeiras horas de vida, e eles aprendem a entender os sinais socialização, prestando especial atenção aos olhos de outras pessoas. As crianças com autismo, no entanto, não apresentam esse tipo de interesse. Na verdade, a falta de contato visual é uma das características de diagnóstico da doença.

O estudo acompanhou crianças desde o nascimento até 3 anos de idade. Os participantes da pesquisa foram divididos em dois grupos, com base em seu risco de desenvolver um transtorno do espectro do autismo. Os integrantes do grupo de alto risco tinham um irmão mais velho já diagnosticado com autismo, aqueles no grupo de baixo risco, não.

O estudo utilizou equipamentos de rastreamento ocular para medir os movimentos dos olhos de cada criança enquanto elas observavam as cenas de um vídeo do cuidador. Os pesquisadores calcularam a porcentagem de tempo que cada criança fixou os olhos na boca, corpo, bem como nos espaços não-humanos das imagens. Todas as crianças realizaram 10 diferentes testes entre 2 e 24 meses de idade.

Aos 3 anos, algumas das crianças (quase todas do grupo de alto risco) tinham recebido um diagnóstico clínico de um transtorno do espectro do autismo. Os pesquisadores, então, revisaram os dados de rastreamento ocular para determinar quais os fatores que diferenciaram as crianças que receberam um diagnóstico de autismo e aquelas que não o tiveram.

Nas crianças que foram diagnosticadas com autismo, observamos um declínio constante no tempo que eles permanecem olhando para os olhos mãe, afirmaram os pesquisadores. Esta queda na fixação do olhar começou entre dois e seis meses e continuou durante todo o curso do estudo. Por 24 meses, os bebês que mais tarde foram diagnosticados com autismo ficaram focados nos olhos cuidador apenas metade do tempo que o grupo de bebês com desenvolvimento normal.

Em oposição a uma teoria de longa data que afirma que comportamentos sociais são inteiramente ausente em crianças com autismo, os resultados deste estudo sugerem que as habilidades de engajamento social estão intactas logo após o nascimento de crianças com o problema.


Fonte: Isaúde



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato