Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[21/01/2019]
Evolução da sífilis: quando se deve buscar ajuda
Entenda como a sífilis evolui e saiba quando procurar ajuda
[18/01/2019]
Cientistas desenvolvem molécula que pode tratar insuficiência cardíaca
A Samba foi desenvolvida por pesquisadores da USP nos últimos dez anos, e o teste em ratos se mostrou promissor para ajudar pacientes que sofrem da doença.
[15/01/2019]
Dorme menos de 6 horas por noite?
Estudo indica que você tem mais chances de ter problemas de saúde
[10/01/2019]
É arriscado beijar bebês recém-nascidos?
Veja que cuidados tomar na hora da visita

+ mais   


Hormônio do amor pode ajudar no tratamento da anorexia


13/03/2014



A oxitocina reduziu a tendência inconsciente de anoréxicos de se concentrar em comida e forma corporal

Spray com o “hormônio do amor” pode ajudar no tratamento de pessoas com anorexia, de acordo com cientistas britânicos e coreanos. A oxitocina é conhecida dessa maneira por ser liberada durante o beijo, sexo, parto e amamentação. Os dados são do jornal Daily Mail.

O levantamento analisou 31 pacientes que receberam o spray. Como costumam apresentar dificuldades sociais, incluindo ansiedade e hipersensibilidade às emoções negativas, foram testadas as suas reações a expressões faciais de raiva, nojo e felicidade, e constatou-se que se tornaram menos propensos a prolongar a atenção em “cara de nojo”.

A novidade também pareceu reduzir a tendência inconsciente de se concentrar em comida e forma corporal. Os voluntários focaram menos em fotos de alimentos e em imagens de coxas flácidas e estômagos.

Se testes maiores comprovarem a eficácia do produto, pode começar a ser vendido em dois a três anos. “Atualmente, existe uma falta de tratamentos farmacológicos efetivos para anorexia. Nossa pesquisa acrescenta uma prova importante para a crescente literatura sobre oxitocina em tratamentos para distúrbios mentais”, disse o cientista Youl-Ri Kim, da Universidade Inje em Seul, na Coreia do Sul. A King’s College London, na Inglaterra, também participa das pesquisas.


Fonte: Saúde Terra



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato