Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


Sete em 10 mulheres descobrem câncer de ovário tarde demais


14/05/2014



Doença tem índice de mortalidade de 50% e diagnóstico tardio prejudica chances de cura

Um levantamento recente feito pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) descobriu que 70% das mulheres com câncer de ovário chegam ao hospital com a doença avançada, o que pode comprometer o sucesso do tratamento. O dia mundial de combate à doença é celebrado nesta quinta-feira (08) O tumor é considerado silencioso e os poucos sintomas apresentados costumam ser ignorados pela maioria das mulheres, uma vez que são confundidos com desconfortos comuns como inchaço abdominal, menstruação irregular e indigestão. Também podem ocorrer dores na região pélvica, perda do apetite e náuseas.

Por mês, são realizados mais de 800 atendimentos no serviço de ginecologia do instituto. Do total de pacientes, cerca de 20% têm entre 45 e 54 anos e 70% das mulheres estão acima dos 55 anos, período em que é mais frequente o desenvolvimento do tumor. Estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca) apontam que cerca de 6 mil novos casos da doença devem surgir no Brasil em 2014. O câncer de ovário é o tipo de tumor ginecológico com maior índice de mortalidade, chegando a 50%. A visita anual ao ginecologista e a procura do médico diante de alguns sintomas podem ajudar a antecipar o diagnóstico, afirmou a coordenadora da oncologia clínica do Icesp, Maria Del Pilar Estevez Diz.

Entre os fatores de risco para o câncer de ovário estão o histórico familiar e a obesidade. Mulheres que fazem terapia de reposição hormonal e tratamento para a fertilidade também são mais propensas a desenvolver a doença.


Fonte: Saúde Terra



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato