Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[15/03/2019]
Comer cogumelos duas vezes por semana reduz risco de perda de memória
Comer cogumelos ao menos duas vezes por semana pode ajudar a prevenir problemas de memória e fala em pessoas com mais de 60 anos.
[22/02/2019]
Minicérebros criados em laboratório no Rio têm até olhos
No futuro, testes dirão se os organoides podem enxergar; estruturas devem servir para entender doenças e avaliar medicamentos
[15/02/2019]
Gonorreia: por que a doença está ficando resistente a medicamentos
Bactéria responsável pela infecção sexualmente transmissível está desenvolvendo resistência aos antibióticos existentes
[14/02/2019]
Surto de febre amarela avança para Sudeste e Sul, alerta OMS
Em comunicado emitido em Brasília, entidade amplia área de vacinação para estrangeiros e aponta para terceira onda de contaminação

+ mais   


Dia do Homem: 60% que fazem exame de toque têm caso grave


15/07/2014



Mais da metade dos pacientes procura um médico apenas quando o estágio da doença já está muito avançado

Nesta terça-feira (15), é comemorado o Dia do Homem e o Centro de Referência em Saúde do Homem chamou a atenção para uma das doenças que afeta o público masculino: o câncer de próstata. De acordo com o coordenador da unidade, Claudio Murta, enquanto 90% dos homens aceitam fazer exame de toque retal indicado pelo médico, 60% desses pacientes procuram ajuda de um especialista quando a doença já está em estágio avançado.

Segundo o médico, o homem não vai ao médico por uma questão cultural. No caso de complicações na próstata, geralmente, o paciente é levado pela parceira ou familiares, quando já sente dor e dificuldade para urinar. O exame de toque retal, que deve ser feito periodicamente a partir dos 50 anos, é realizado no consultório de forma rápida e indolor. A avaliação é realizada por um médico urologista e consiste em um dos principais métodos para detecção precoce do câncer de próstata, em conjunto com o exame Prova do Antígeno Prostático.

O preconceito é o que atrapalha a prevenção, na opinião de Murta. “Mais do que desmistificar o preconceito do exame do toque retal, é importante que o homem mantenha hábitos saudáveis para tratar a doença de forma menos agressiva, com mais chances de cura”, alertou o médico. Entre eles, estão não fumar, controlar o peso, praticar atividades físicas, ingerir tomate e peixes, e reduzir o consumo de carne vermelha.


Fonte: Saúde Terra



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato