Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[15/03/2019]
Comer cogumelos duas vezes por semana reduz risco de perda de memória
Comer cogumelos ao menos duas vezes por semana pode ajudar a prevenir problemas de memória e fala em pessoas com mais de 60 anos.
[22/02/2019]
Minicérebros criados em laboratório no Rio têm até olhos
No futuro, testes dirão se os organoides podem enxergar; estruturas devem servir para entender doenças e avaliar medicamentos
[15/02/2019]
Gonorreia: por que a doença está ficando resistente a medicamentos
Bactéria responsável pela infecção sexualmente transmissível está desenvolvendo resistência aos antibióticos existentes
[14/02/2019]
Surto de febre amarela avança para Sudeste e Sul, alerta OMS
Em comunicado emitido em Brasília, entidade amplia área de vacinação para estrangeiros e aponta para terceira onda de contaminação

+ mais   


Coriza parece um sintoma simples em alergias, mas quando não tratada pode causar


12/08/2014



Entenda melhor a relação da coriza com a rinite alérgica e outros tipos de alergias


A coriza é um sintoma caracterizado pela produção de corrimento ou secreção nasal, que popularmente é conhecida como "nariz escorrendo". Pode apresentar-se com coloração transparente (coriza hialina), amarelada, esverdeada ou sanguinolenta. Quando associa-se a processos alérgicos, geralmente é transparente. A intensidade e frequência podem ser variáveis.

O quadro alérgico mais comum que envolve a coriza é a rinite alérgica. Nesse processo a coriza é transparente. Na rinite alérgica, além da coriza o paciente pode apresentar espirros, coceira no nariz e obstrução nasal (entupimento). Muitas vezes esses sintomas são contínuos e fica uma impressão de que o paciente está sempre resfriado, mas na realidade trata-se de rinite alérgica.

Rinite isolada provocada por alergia alimentar é rara, mas existe um tipo de coriza que junto com espirros e obstrução nasal pode ser provocada por alimentos quentes, temperados e apimentados (através de uma substancia chamada capsaicina).

Na anafilaxia - que é uma reação imunológica mediada por um anticorpo da classe IgE, ocorrem sintomas na pele, no aparelho respiratório, nos sistemas cardiovascular e gastrointestinal podendo levar ao óbito - um dos primeiros sintomas é o comprometimento do nariz com a coriza, espirros, coceira e entupimento nasal. Anafilaxia pode ser desencadeada por alimentos, veneno de insetos, medicamentos e etc.
Tratamento da coriza

A coriza é um sintoma muito incomodo da rinite alérgica que se persistente pode provocar distúrbios do sono, dificuldade de aprendizado, baixo rendimento escolar e faltas ao trabalho, por isso essa doença merece ser diagnosticada e tratada. Esse sintoma deve ser tratado no contexto da rinite alérgica com diversas opções preventivas, como:

• Anti-histamínicos orais
• Corticoesteroides tópicos
• Antileucotrienos
• Imunoterapia sublingual ou injetável
• Em crises, com anti-histamínicos orais isolados ou associados a descongestionantes orais, dependendo do predomínio dos outros sintomas da rinite.


|-| Complicações da coriza

Quando a coriza (não tratada) passa de transparente para amarelo-esverdeada e junto com este sintoma ocorre tosse, dor de cabeça, sensação de peso na cabeça e obstrução nasal, esse processo de rinite alérgica ou rinossinusite alérgica complica-se com uma rinossinusite bacteriana. Nesse caso, haverá necessidade de um antibiótico no tratamento. A rinite alérgica pode ser entendida como um fator pré-disponente para rinossinusites agudas de repetição ou crônicas. A inflamação da mucosa nasal provoca produção e estagnação do muco (catarro) nos seios paranasais favorecendo o crescimento bacteriano.

A coriza relacionada à rinite alérgica não tratada pode desencadear crises de asma. Em 1999 foi publicado um documento pela OMS e Organização Mundial de Alergia chamado ARIA (Allergic Rhinitis and it Impact on Asthma), que descreve o impacto da rinite alérgica na asma. As evidencias demonstram que asma e rinite alérgica possuem bases epidemiológicas, genéticas, histopatológicas, fisiopatológicas, ambientais, imunológicas e genéticas comuns representando uma mesma síndrome comprometendo as vias aéreas como um todo.

A exacerbação da rinite alérgica pode precipitar os sintomas de asma e o controle da rinite alérgica pode facilitar o controle da asma. Em média 80% dos pacientes com asma apresentam rinite alérgica. 20 a 40% dos pacientes com rinite alérgica apresentam asma. Crianças com rinite alérgica têm seis vezes mais chance de apresentar asma do que a população geral. A rinite alérgica, portanto é um fator de risco para a asma. Pacientes com asma sempre devem ser investigados para rinite alérgica. Pacientes com rinite alérgica devem realizar prova de função pulmonar a fim de detectar alterações de asma.

Crianças com coriza, respiração pela boca, roncos noturnos e hábito de babar devem ser investigados para a possibilidade de apresentarem hipertrofia de adenoide (o que se costuma chamar de carne esponjosa no nariz).

A coriza acompanhando a rinite alérgica parece um sintoma tão inofensivo, muitas vezes negligenciado pelos pacientes e às vezes pelos próprios médicos, no entanto o não tratamento pode causar várias complicações, alterando o aproveitamento escolar e do trabalho, por isso deve ser estimulada a sua investigação e tratamento com o especialista.


Fonte: Minha Vida



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato