Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


Como introduzir novos alimentos na dieta da criança


02/09/2014



Confira boas dicas para que a criança coma frutas e vegetais

A alimentação é um dos grandes desafios da educação infantil. Alimentar uma criança exige muita paciente, calma, determinação, carinho e principalmente sabedoria.

Comer de forma saudável e apreciar alimentos de sabor natural, é um aprendizado que deve ter início aos 6 meses de vida com a introdução dos alimentos complementares a amamentação. A partir dos 6 meses até 3 anos de idade é a melhor fase para ensinar seu filho a ter o hábito de experimentar novos sabores. Aos 2 anos, as crianças começam a fazer mais coisas sem ajuda, a escolher o que comer e passam a rejeitar os alimentos para treinar sua recém-conquistada independência. Em geral, o que a criança come até os quatro anos idade é o padrão que permanecerá até a vida adulta. A partir dessa idade, a criança come novos alimentos, mas com pequena variação em relação ao que aprendeu e ao paladar que desenvolveu nos primeiros quatro anos de vida.


Alimentos industrializados

Os produtos alimentícios são altamente palatáveis não apenas para as crianças, mas também para os adultos. São ricos em sal e açúcar para torná-los mais duráveis, crocantes, saborosos e atraentes. Quanto mais precoce a introdução de alimentos industrializados, mais difícil será o sucesso de uma alimentação saudável. Não adianta proibir o consumo de algo que a criança já conhece e gosta. O melhor é deixar os alimentos industrializados para após os 2 anos de idade e o consumo deve ser esporádico, reservado para situações como festas infantis e viagens para outras cidades.
Influência dos pais

Ao contrário do que se pensa, não são as crianças e colegas de escola, mas sim os pais a principal influência nas escolhas alimentares de seus filhos. São os pais que compram e oferecem comida para as crianças e são neles que as crianças aprendem um modelo de vida e comportamento. É por esse motivo que as crianças que consomem frutas e verduras são filhas de pais que apreciam e consomem esses alimentos. Será uma perda de tempo exigir que seu filho coma verdura, se tanto você como seu marido ou esposa não consomem verduras diariamente.


Resistência a novos alimentos

Toda criança nasce com o instinto para rejeitar alimentos mais amargos para evitar ingestão acidental de frutas venenosas. Além disso, crianças pequenas adoram a rotina e familiaridade e precisam ver um mesmo alimento diversas vezes antes de experimentar.

Mas o que se observa atualmente são crianças, com apenas 2 ou 3 anos de idade com paladar industrializado, aceitam apenas alimentos muito salgados ou muito doces. Não apreciam o sabores amargo, azedo e umami e rejeitam alimentos com pouco sal e com sabor adocicado suave. Também apresentam dificuldade com texturas diferentes, principalmente com alimentos não homogêneos e que apresentam mais de uma textura como por exemplo a ameixa que é sólida e suculenta, amêndoas que são muito duras e a viscosidade de algas marinhas. Segundo a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria), as criança precisam ser expostas a um novo alimento de oito a 10 vezes para que o aceitem bem.
Como introduzir novos alimentos

Geralmente os pais utilizam estratégias inadequadas. Forçar, ameaçar, punir, chantagear, fazer comparações e competição entre as crianças, ou seja, transformar a hora da refeição na "hora do espanto" são estratégias fadadas ao fracasso.

A melhor estratégia é trazer a criança para dentro do processo de compra e preparo do alimento. Sempre em ambiente harmonioso, tranquilo e de muito carinho para que a criança tenha uma boa experiência com o novo alimento e guarde boas lembranças para a próxima vez que for exposta ao mesmo.

Dicas para a criança experimentar novas frutas

• Inclua a criança na compra das frutas, leve-a ao supermercado, feira livre e horto mercados para que ela descubra a variedade de verduras, hortaliças e frutas. Faça disso um programa divertido, experimentem as frutas, apreciem o sabor, aroma, textura e formato das frutas que ela expressar maior interesse. Compre água de coco ou caldo de cana. Mostre para a criança como se prepara o caldo de cana, de onde vem a água de coco e como se corta coco ralado.

• Leve a criança para a cozinha e prepare receitas simples que contenham como ingrediente principal a fruta como salada de frutas, espetinho de frutas com calda de chocolate, bolo de laranja, bolo de banana, torta de maçã, gelatina de frutas, entre outras.

• Dê um bom exemplo para as crianças ao consumir diariamente frutas. Sempre que possível os pais devem fazer o lanche de fruta junto com a criança.

• Deixe disponível à mesa ou bancada da cozinha as frutas para que estas sejam o alimento mais acessível na hora da fome. -No lanche da manhã e da tarde faça sacolé de suco de fruta natural, gelatina de fruta, torta de frutas, bolo de frutas.

• Observe as reações da criança ao introduzir uma nova fruta, caso ela não goste, espere alguns dias e tente novamente.


Dicas para a criança experimentar novas verduras

• Inclua a criança na compra das frutas, leve-a ao supermercado, feira livre e horto mercados para que ela descubra a variedade de verduras, hortaliças e frutas. Faça disso um programa divertido, experimentem as frutas, apreciem o sabor, aroma, textura e formato das frutas que ela expressar maior interesse. Compre água de coco ou caldo de cana. Mostre para a criança como se prepara o caldo de cana, de onde vem a água de coco e como se corta coco ralado.

• Leve a criança para a cozinha e prepare receitas simples que contenham como ingrediente principal a fruta como salada de frutas, espetinho de frutas com calda de chocolate, bolo de laranja, bolo de banana, torta de maçã, gelatina de frutas, entre outras.

• Dê um bom exemplo para as crianças ao consumir diariamente frutas. Sempre que possível os pais devem fazer o lanche de fruta junto com a criança.

• Deixe disponível à mesa ou bancada da cozinha as frutas para que estas sejam o alimento mais acessível na hora da fome. -No lanche da manhã e da tarde faça sacolé de suco de fruta natural, gelatina de fruta, torta de frutas, bolo de frutas.

• Observe as reações da criança ao introduzir uma nova fruta, caso ela não goste, espere alguns dias e tente novamente.


Fonte: Minha Vida



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato