Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


Fisioterapia é aliada na reabilitação após o câncer de mama


22/10/2014



Objetivo é prevenir possíveis complicações e auxiliar na reabilitação do paciente

As afecções mamárias representam um importante problema de saúde pública no Brasil atualmente. O câncer de mama é o segundo tipo de câncer mais frequente no mundo e o primeiro do Brasil, correspondendo a uma das principais causas de óbitos no país. Diversas campanhas, no Brasil e no mundo, tem orientado a população de que o câncer é curável se detectado e tratado no início.

A fisioterapia tem desenvolvido um papel importante na prevenção de possíveis complicações e na reabilitação de um paciente oncológico. Embora a atuação da fisioterapia nesta área ainda seja nova, tem se expandido bastante. E tem como objetivo preservar, manter e restaurar a integridade cinético-funcional de órgãos e sistemas e prevenir os distúrbios causados pelos tratamentos oncológicos, principalmente aqueles mais radicais como a mastectomia. Neste caso, a fisioterapia atua no pré e no pós-operatório imediato e tardio. Acompanhando o paciente desde o período de preparação para a cirurgia até a reabilitação funcional no pós-cirúrgico.

A fase pré-operatória tem bastante importância, pois reduz o tempo de internação e permite que a paciente retorne mais rapidamente às atividades diárias e ocupacionais. No pós-operatório imediato é dado enfoque nas complicações respiratórias, circulatórias e motoras. Já no tardio, busca-se evitar complicações como limitações de movimentos, linfedema e aderência cicatricial. A dor é uma queixa frequente da paciente, devendo ser controlada e tratada em todas as etapas da doença.

O fisioterapeuta pode utilizar-se de várias técnicas e métodos para alcançar seus objetivos, que incluem: manobras de drenagem linfática manual, exercícios respiratórios, exercícios de alongamento global e fortalecimento muscular como no pilates, além de movimentos de facilitação neuromuscular proprioceptiva e atividades funcionais. Pode-se ainda aplicar reeducação postural global (RPG) para melhorar a postura. Os recursos analgésicos (Tens, crioterapia, mobilização passiva, técnicas de relaxamento muscular) complementam o tratamento fisioterapêutico.

A fisioterapia oncológica, portanto, contribui para a reabilitação do paciente oncológico, trazendo independência funcional e possibilitando uma melhor qualidade de vida com retorno a vida social.


Fonte: Minha Vida



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato