Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


Casos de febre chikungunya crescem no Brasil. Saiba tudo sobre a doença


24/10/2014



Infectologista aponta os sintomas e indica melhor maneira de lidar com vírus

O aumento de casos de uma doença, nem tão conhecida por todos, mas que já chegou ao Brasil, está deixando a população em alerta. O Mais Você desta quarta-feira (22) explicou tudo sobre o vírus que provoca a febre chikungunya. Ela é provocada por dois tipos de mosquito: um deles é o nosso "velho" conhecido Aedes Aegypti - o mosquito transmissor da dengue - e pelo Aedes Albopictus - que atua como um vetor da dengue e da febre amarela.

Até o momento já são 338 pessoas infectadas no Brasil. O alto número de casos na Bahia é justificado pela grande quantidade de mosquitos Aedes Aegypti no estado. Na semana passada, foi confirmado o segundo caso, em Minas Gerais: uma mulher de 34 anos, que foi contaminada na Venezuela. A Secretaria de Saúde informou que a doença só é transmitida pela picada do mosquito e orienta que se evite a automedicação, já que ela pode amenizar os sintomas e dificultar o diagnóstico. A recomendação para prevenção é a mesma da dengue: evitar a água parada, que prolifera o mosquito.


• Sintomas e tratamento

De acordo com o infectologista Edmilson Migoviski, os sintomas são muito parecidos com os da dengue: febre, mal-estar, dor no corpo e dor de garganta. Mas o que chama a atenção do paciente com chikungunya é a possibilidade de evoluir para muitas dores nas juntas, nas articulações. E qual é o tratamento para esta doença? "Não tem tratamento específico, embora a cura vá ocorrer, porque você tem o seu sistema imunológico que vai atuar. O seu organismo acaba dando conta do recado”, avisa o médico.

E preste atenção: depois de ter a doença, a pessoa fica imune ao vírus: “Você consegue montar uma resposta imune com a produção de anticorpos de tal forma que se você tiver uma nova exposição, esse vírus vai ser neutralizado não gerando os sintomas", disse o infectologista.


Fonte: O Globo



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato