Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


FALTA DE AR


28/10/2014



Sinônimo: Dispnéia; dificuldade para respirar.

• O que é?

Dispnéia é o termo usado pelos médicos para se referirem à falta de ar ou encurtamento da respiração. A pessoa afetada tem a sensação de não conseguir “pegar mais ar” ou não conseguir respirar profundamente. Poderá também sentir dificuldade para colocar o ar para fora dos pulmões.

Estes dados são subjetivos e variáveis em intensidade, além de poderem ser influenciados por outros fatores.


• Como se desenvolve?

A falta de ar pode ocorrer por causas diversas. Contudo, ela é considerada normal quando a pessoa realiza um exercício extenuante. Para que a dispnéia seja sentida, o indivíduo deverá possuir um sistema neurológico em bom funcionamento, ou seja, os nervos enviam a “mensagem” da falta de ar para a medula espinhal (que fica dentro do canal espinhal, que é formado pelas vértebras da coluna vertebral) e esta informação é levada até o cérebro, onde ela é percebida (entendida).

A interpretação desta sensação pode variar de acordo com o estado psicológico da pessoa.


• Como ela se apresenta?

A dispnéia pode surgir de maneira aguda, crônica ou ser paroxística.

Muitas vezes, a falta de ar aguda na criança é causada pelas infecções respiratórias – bronquiolite e laringite, por exemplo. Nos adultos, as possibilidades são bem maiores. Dentre as causas possíveis estão:

- asma
- exacerbação da bronquite crônica
- edema pulmonar (por causa do coração fraco)
- ferimentos internos no tórax
- derrame pleural (“água na pleura”)
- pneumotórax
- sangramento súbito volumoso e outros.


Quando o encurtamento da respiração existe há mais tempo (crônico), ele pode ser devido à:

- doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema pulmonar ou bronquite crônica)
- fibrose (“endurecimento”) dos pulmões
- embolia pulmonar (trombose nas artérias dos pulmões)
- insuficiência do coração
- asma
- anemia grave
- câncer de pulmão
- angina do coração
- por nervosismo
- por outras doenças.

A insuficiência aguda do coração em bombear o sangue é o edema agudo de pulmão, que causa uma falta de ar paroxística à noite.

Com intuito de classificar a dispnéia de uma maneira mais objetiva, os médicos muitas vezes utilizam escalas que categorizam a falta de ar conforme a sua intensidade.


• Como o médico faz o diagnóstico?

Frente a um caso de dispnéia, o médico iniciará a investigação com perguntas ao seu paciente e, após, realizará o exame físico. Depois, definirá se será necessário algum exame complementar que poderá, na maioria das vezes, comprovar de maneira objetiva o problema do indivíduo afetado.


• Como se trata?

O tratamento do indivíduo acometido pela falta de ar será decidido de acordo com a causa subjacente. Por exemplo, se o motivo da falta de ar for uma pneumonia bacteriana, o tratamento deverá ser feito com antibióticos. Além disso, poderá ser usado ou não oxigênio suplementar para o paciente, medicações para combater a dor e a febre e fisioterapia respiratória.


• Como se previne?

A prevenção vai também depender da causa. Evitar exercícios extenuantes pode prevenir o encurtamento da respiração.

Casos de falta de ar por insuficiência cardíaca, asma, distúrbio do pânico, embolia pulmonar e outros poderão ser prevenidos desde que o indivíduo tenha um acompanhamento médico e faça uso das medicações recomendadas regularmente.


• Perguntas que você pode fazer ao seu médico

O que eu devo fazer quando iniciar a falta de ar?

A medicação deve ser utilizada continuamente ou só nos momentos de encurtamento da respiração?

Por quanto tempo deverá ser feito acompanhamento médico?


Fonte: Abc da Saúde



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato