Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


Cuidados com o clima seco


11/11/2014



A umidade relativa do ar chegou a cerca de 10% em algumas cidades do Brasil neste ano. No deserto do Atacama, no Chile, a média é 12%, por exemplo. Mais do que em outras estações, a hidratação e outros cuidados são fundamentais quando o clima está muito seco.

Quem descuida, tem ressecamento no nariz e na garganta, tosse e problemas respiratórios e alérgicos, entre outros sintomas. “A mucosa do nariz, a faringe, a laringe, a traqueia e os brônquios perdem viscosidade, o que facilita o aparecimento de infecções, como sinusite e bronquite. Além disso, pode haver sangramento nasal”, diz a otorrinolaringologista Saramira Bohadana, do Hospital das Clínicas da FMUSP.

Segundo Cícero Matsuyama, otorrinolaringologista do Hospital Cema, crianças abaixo de 5 anos e adultos com mais de 65 anos são mais suscetíveis. “E não é preciso que o ar fique muito seco. Temperaturas acima de 32°C e umidade abaixo de 20% já podem causar problemas”, diz Matsuyama.

Nestas condições climáticas, os exercícios físicos ao ar livre devem ser evitados entre as 10 e 16 horas e é recomendado permanecer em locais protegidos do sol, além de beber muito líquido. “Um adulto deve ingerir cerca de 30% mais água, e não somente os 2 l habitualmente recomendados”, complementa.

Umidifique o ambiente: A casa precisa estar com uma boa taxa de umidade, principalmente na hora de dormir. Para quem tem aparelho umidificador, o ideal é regular para até 60%. Uma maneira de improvisar é colocar bacias de água (com pontas de toalhas mergulhadas) nos ambientes.

Mantenha a casa limpa: Evite o acúmulo de poeira para diminuir as chances de alergias.

Alimentação leve: Deixe de lado as frituras e as comidas gordurosas e prefira frutas, verduras e legumes. Os sucos naturais e a água de coco também são ótimos aliados.


Fonte: Portal Vital



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato