Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


Fones de ouvido podem causar surdez; veja outros sons prejudiciais


17/11/2014



Imprudência e negligência com sons altos são as maiores inimigas da saúde auditiva; cuidado deve começar cedo

No dia nacional de prevenção e combate à surdez, celebrado nesta segunda-feira (10), os especialistas alertam: é preciso cuidar da saúde auditiva para chegar à terceira idade ouvindo bem. O que não parece fácil para a geração que parece ter o fone de ouvido como "acessório de fábrica"

Cada dia mais popular entre crianças e adolescentes, o uso indiscriminado de fones de ouvido, por longos períodos e em volume acima do normal, causa perda de audição. E o pior é que a pessoa nem percebe o processo, já que a perda da audição é gradual.

“Essa população de usuários vai ter queixa anterior ao tempo que deveria ocorrer, que é por volta dos 75 anos de idade, por causa do envelhecimento”, alerta Castilho. “A morte das células auditivas pelo envelhecimento é um processo programado geneticamente, e vai acontecer com todo mundo, mas deveria ser apenas no tempo certo.”

A perda anterior pode acontecer porque o som alto “acorda” alguns genes que deveriam se manifestar só na terceira idade. “Acordar o gene mais cedo é uma sobreposição de problemas”, afirma o médico.

Mas o que faz uma pessoa ficar surda? O otorrinolaringologista Arthur Castilho explica que alguns já nascem sem ouvir – por razões genéticas ou por infecções durante a gestação. A maioria dos casos, no entanto, acontece por traumas acústicos, infecções durante a vida e por abuso da audição com sons altíssimos, como os dos fones de ouvido.

Fogos de artifício, máquinas em indústrias, britadeiras, conversas excessivas e ruídos altos também machucam o ouvido. Quem tem ouvido sensível, sente um desconforto já no final do dia: há uma perda de audição significativa, que pode ser acompanhada por um zumbido ou chiado. No dia seguinte, no entanto, tudo parece estar melhor.

Se a exposição ao ruído, som ou barulho alto foi temporária, o ouvido trabalha arduamente para se recuperar e costuma conseguir. Mas, se a agressão à audição for frequente, o ouvido entrega os pontos e os nervos vão sendo lesados.

O ouvido passa a sofrer quando os sons são acima de 85 decibéis.



Fonte: Saúde iG



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato