Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[13/11/2018]
Aplicativo de celular identifica com precisão ataques cardíacos
Pesquisadores acreditam que aplicativo poderia ajudar pessoas em países sem acesso a exames como o eletrocardiograma tradicional.
[12/11/2018]
Exame de cinco minutos pode prever o risco de demência, diz estudo
Doença estaria associada a maior pulsação arterial, que desencadearia declínio cognitivo
[07/11/2018]
Inteligência artificial consegue prever Alzheimer anos antes do diagnóstico

[05/11/2018]
O inovador implante na medula que fez homem com paralisia voltar a andar
Cientistas da Suíça desenvolveram método que estimula impulsos em medula espinhal de pacientes.

+ mais   


Sonecas são fundamentais para aprendizado de bebês


19/01/2015


Pesquisas com 216 bebês de até 12 meses indicam que eles não conseguiam recordar novas tarefas se não tirassem uma longa soneca pouco depois do novo aprendizado.

A equipe de pesquisadores, da Universidade de Sheffield, sugere que o melhor momento para aprender parece ser pouco antes de dormir. Eles também enfatizam a importância de ler histórias antes de as crianças dormirem.

Especialistas acreditam que o sono seja muito mais importante nos primeiros anos de vida do que em outras idades.

As pessoas passam a maior parte de seu tempo dormindo enquanto bebês, em comparação com outros anos da vida. Apesar disso, os pesquisadores de Sheffield e da Ruhr University Bochum, na Alemanha, dizem que "pouco se sabe" a respeito do papel desempenhado pelo sono no primeiro ano de vida do bebê.


• Aprender, dormir, repetir

Os cientistas ensinaram novas tarefas (na forma de brincadeiras com fantoches) a bebês de 6 a 12 meses de idade.

Metade dos bebês dormiu até quatro horas depois do aprendizado, enquanto os demais não dormiram ou tiraram sonecas curtas, de menos de 30 minutos.

No dia seguinte, os bebês foram estimulados a repetir o que haviam aprendido.

Os resultados, publicados em Proceedings of the National Academy of Sciences, mostraram que o ato de "dormir como um bebê" foi vital para o aprendizado.

Em média, uma tarefa e meia puderam ser repetidas após uma longa soneca.

Em comparação, eles não conseguiam repetir nenhuma tarefa se não tivessem dormido o bastante.

"Os que dormiram após aprender conseguiram assimilar bem; os que não dormiram não aprenderam nada", diz à BBC Jane Herbert, do departamento de psicologia da Universidade de Sheffield.

Ela disse que presumia-se que bebês bem despertos conseguiam aprender melhor. No entanto, "talvez os eventos ocorridos pouco antes do sono sejam os mais importantes".

As descobertas mostraram também o "quão valioso" é ler livros com as crianças antes de elas dormirem.

E são reforçadas por um estudo do ano passado que identificou os mecanismos da memória durante o sono, que apontou como novas conexões entre células cerebrais são formadas durante o sono.

• Ressalvas

"Talvez o sono seja muito mais importante em algumas idades do que em outras, mas tudo isso ainda precisa ser mais fortemente estabelecido", ressalta o profesor Derk-Jan Dijk, cientista do sono na Universidade de Surrey.

Ele afirma que bebês "certamente precisam dormir bastante" para estimular o aprendizado, mas concentrar esse aprendizado pouco antes de dormir talvez não seja a melhor alternativa.

"O que os dados mostram é que dormir após aprender é positivo, mas não que estar com sono durante o aprendizado é positivo."

Também há um crescente interesse no sono e na memória no outro extremo da vida: na terceira idade, principalmente levando-se em conta problemas neurodegenerativos, como a demência.

Acredita-se que estimular o sono possa retardar a deterioração da função da memória.


Fonte: Saúde terra



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato