Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[15/03/2019]
Comer cogumelos duas vezes por semana reduz risco de perda de memória
Comer cogumelos ao menos duas vezes por semana pode ajudar a prevenir problemas de memória e fala em pessoas com mais de 60 anos.
[22/02/2019]
Minicérebros criados em laboratório no Rio têm até olhos
No futuro, testes dirão se os organoides podem enxergar; estruturas devem servir para entender doenças e avaliar medicamentos
[15/02/2019]
Gonorreia: por que a doença está ficando resistente a medicamentos
Bactéria responsável pela infecção sexualmente transmissível está desenvolvendo resistência aos antibióticos existentes
[14/02/2019]
Surto de febre amarela avança para Sudeste e Sul, alerta OMS
Em comunicado emitido em Brasília, entidade amplia área de vacinação para estrangeiros e aponta para terceira onda de contaminação

+ mais   


Tendinite patelar: tratamento inclui fisioterapia e cirurgia para casos graves


25/03/2015


Conhecida como joelho do saltador, doença pede cuidados com exercícios e alongamento

A tendinite patelar, também conhecida por "jumper's knee" ou joelho do saltador, caracteriza-se por uma dor focal na região infra-patelar (abaixo da rótula do joelho) no trajeto do tendão patelar. Possui incidência de cerca de 20% em atletas de salto, incluindo voleibol, basquete, handebol e atletismo, mas pode acometer praticantes de outros esportes como futsal, futebol, corrida e até não esportistas.

Mais comumente observada em adultos jovens, a tendinite patelar está associada à flexibilidade diminuída da musculatura posterior da coxa (isquiotibial) e a movimentos repetitivos de contração extrínseca (o músculo permanece contraído enquanto há alongamento das fibras musculares) do mecanismo extensor do joelho, também conhecido como quadríceps femoral.

Inicialmente, a tendinite patelar se apresenta por dor insidiosa na borda inferior da patela, principalmente após a prática esportiva. Mais tarde a dor pode inclusive aparecer durante a atividade física e em flexão prolongada dos joelhos limitando o desempenho.

O diagnóstico se faz basicamente através de boa história e exame clínico. Radiografias simples geralmente são normais, mas fazem parte do exames complementares para diagnóstico. Ultrassonografia é o exame mais utilizado para confirmação diagnóstica enquanto a ressonância magnética é indicada para casos crônicos, reincidentes ou para planejamento de tratamento cirúrgico se este for o caso.
Tratamento depende da gravidade

Na maioria dos casos são obtidos bons resultados com tratamento conservador. Este inclui crioterapia, repouso relativo de acordo com a dor, modificação de intensidade e tipo de atividade física. A reabilitação se dá através de fisioterapia. Uma orientação importante aos pacientes é a de sempre se lembrar do alongamento pré e pós atividade física e esportiva. Em especial para tendinite patelar é fundamental o alongamento do quadríceps femoral (anterior da coxa) e da musculatura flexora que fica na porção posterior da coxa.

Nos casos mais graves, crônicos e reincidentes, o tratamento cirúrgico pode ser indicado. No entanto, vale ressaltar que cada caso deve ser avaliado e tratado individualmente e que independente do grau procure um especialista para receber assistência adequada, maximizando as chances de bons resultados no tratamento da tendinite patelar.

Fonte: Minha Vida



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato