Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[21/09/2018]
Para onde vai a gordura que queimamos quando perdemos peso?
Pesquisadores da Austrália fizeram essa pergunta a 150 profissionais da área da saúde, e ficaram decepcionados com o que ouviram
[19/09/2018]
Veja como usar o bicarbonato de sódio na limpeza de casa
Se você ainda não possui um saquinho de bicarbonato de sódio em casa, você deve comprar já.
[18/09/2018]
Varizes e AVC: tem relação?
Especialistas tiram dúvidas no Bem Estar.
[17/09/2018]
1 em 5 homens e 1 em 6 mulheres terão câncer em algum momento da vida
Dados são do último relatório estatístico sobre a situação do câncer no mundo, da Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer.

+ mais   


XÔ, ASSADURAS !


21/05/2015


Todo bumbum de bebê está sujeito a assaduras, mas existem alguns truques e mudanças de hábito que podem ajudar a preveni-las. Para auxiliar mamães a enfrentarem o problema, o Portal Vital elaborou um manual com dicas de especialistas na área de dermatologia infantil e pediatria.


O que é a assadura?

As assaduras, também chamadas de dermatite da área das fraldas, são as erupções da pele na região que ficam em contato com as fraldas. Provoca uma sensação de queimação e muita coceira, além de vermelhidão na pele.

Ocorre em cerca de 50% dos lactentes (criança que ainda mama), com pico de incidência entre 6 e 12 meses. É muito comum em crianças menores de dois anos de idade, grupo que mais usa fraldas. Por outro lado, com as fraldas mais modernas, descartáveis, com géis superabsorventes, a incidência de dermatite das fraldas diminuiu muito.


• Causas

Tudo que irrita a pele pode ser uma causa, como o contato com fezes e urina por tempo prolongado. Atrito e fricção da fralda ou da roupa com a pele – ou mesmo fraldas muito apertadas – também podem deixar a pele mais sensível. Com isso, a pele irritada fica mais propensa à infecção pelo fungo chamado cândida, que pode aparecer por conta das fezes. Esse fungo penetra na pele, causa coceira, ulcerações e ardor intenso, incomodando o bebê.

Pode haver também irritação por resíduos de sabonete ou de lenço umedecido e até mesmo pelos produtos de higiene da roupa, como amaciantes e sabões. Mudanças na alimentação do bebê, como a introdução de alimentos sólidos, podem levar a alterações na composição das fezes ou em sua frequência, o que também pode desencadear a dermatite das fraldas. O mesmo acontece com bebês que são amamentados. Isso porque, quando a criança é alimentada com leite materno, a composição das suas fezes depende do que a mãe come. Os alimentos ácidos podem alterar o pH e a consistência das fezes, o que pode levar a alterações das características físico-químicas das fezes e causar a assadura.


• Como usar cremes e pomadas

Pomadas ou cremes contra assaduras são muito úteis para proteger a pele. A maior parte dos cremes e preparações contém óleo em água e muitas delas contêm óxido de zinco como reparador cutâneo, o que é bom para a pele da criança. Muitos produtos ainda trazem em sua formulação camomila, macela, aloe vera, substâncias com grande poder de proteção.

Para que essas pomadas façam efeito, é necessário aplicá-las com a pele do bebê limpa e seca, antes de cada troca de fraldas. A pomada cria uma barreira que protege a pele das agressões. Já os talcos não são adequados pelo risco de inalação das partículas – que podem ser irritantes para as vias respiratórias da criança.

É bom lembrar que o uso de produtos dermatológicos com corticoide, com ação anti-inflamatória, ou o antibiótico, com ação antibacteriana, podem, com o uso desnecessário e em excesso, desencadear diversos efeitos colaterais sem resolução ou piora do quadro da dermatite.


• Maneira correta de limpar o bebê

A limpeza da região das fraldas deve ser feita preferencialmente com água corrente e sabonete neutro, sem deixar nenhum resíduo de sabão. Devem ser evitados tratamentos caseiros e lenços umedecidos, que acabam deixando resíduos na pele, irritando-a. Deixe os lenços para ocasiões em que não é possível limpar a criança com algodão e água morna, por exemplo, em passeios.


• Quantas vezes a fralda deve ser trocada?

Sempre que estiver úmida com urina ou com fezes, a fralda deve ser trocada. Em condições normais, a troca de fraldas deve ser feita entre 8 e 10 vezes ao dia durante os primeiros meses de vida – à medida que a criança cresce, diminui a frequência. Já quando a criança apresenta assadura, as trocas devem ser feitas mais vezes e, se possível, deve-se deixar a criança sem fraldas em alguns momentos do dia.


• Para evitar assaduras

Algumas estratégias simples ajudam a prevenir as assaduras: trocar fraldas frequentemente; lavar o bumbum do bebê com água como parte do processo de troca de fraldas e secar com uma toalha, sem esfregar e não deixar as fraldas apertadas demais. Além disso, é bom deixar o bebê um tempo sem fraldas.


• Como tratar

Uma vez instalada a assadura, um dermatologista (ou pediatra) deve ser consultado a fim de avaliar a possibilidade de infecção por fungos ou por bactérias para que o tratamento correto seja prescrito.


• A assadura pode ficar grave?

Em alguns casos, a assadura se complica com infecção por bactérias ou fungos. A área fica mais vermelha, coça, e o bebê fica mais irritado. Nesses casos, o dermatologista ou pediatra deve ser procurado para prescrever o tratamento, como com creme antifúngico ou antibiótico. Pomadas inadequadas também podem agravar o quadro, por isso, sempre consulte um médico.


• Assadura em adultos

Assaduras em adultos ocorrem frequentemente pelo atrito da pele com tecidos ou com a própria pele, particularmente em obesos, e por infecção por fungos (micoses). O tratamento é semelhante ao da criança, mas, nesse caso, o talco passa a ser útil, pois retira a umidade do local e evita micoses, uma vez que os fungos preferem regiões úmidas.


Fonte: Portal Vital



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato