Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[15/03/2019]
Comer cogumelos duas vezes por semana reduz risco de perda de memória
Comer cogumelos ao menos duas vezes por semana pode ajudar a prevenir problemas de memória e fala em pessoas com mais de 60 anos.
[22/02/2019]
Minicérebros criados em laboratório no Rio têm até olhos
No futuro, testes dirão se os organoides podem enxergar; estruturas devem servir para entender doenças e avaliar medicamentos
[15/02/2019]
Gonorreia: por que a doença está ficando resistente a medicamentos
Bactéria responsável pela infecção sexualmente transmissível está desenvolvendo resistência aos antibióticos existentes
[14/02/2019]
Surto de febre amarela avança para Sudeste e Sul, alerta OMS
Em comunicado emitido em Brasília, entidade amplia área de vacinação para estrangeiros e aponta para terceira onda de contaminação

+ mais   


Doenças hereditárias: saiba como controlar e se prevenir


12/06/2015


Sempre ouvimos falar que doenças como diabetes, hipertensão, colesterol alto, enxaqueca são hereditárias. Mas como podemos driblar algo que está no gene para não se manifestar em nosso organismo?

De início, é preciso entender como a genética influencia o organismo. Todo ser possui seu DNA, que são moléculas que carregam o material genético vindo do pai e da mãe. É o DNA que determina características como cor dos olhos, dos cabelos, altura e até doenças.

Mas há uma diferença entre doença genética e doença hereditária. Todas as doenças hereditárias são genéticas, mas nem todas as doenças genéticas são hereditárias. As doenças genéticas podem aparecer pela primeira vez na família, como a síndrome de Down, diz Décio Brunoni, geneticista do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim (SP).

Já as doenças hereditárias mostram a tendência de uma pessoa ter a doença, mas isso não quer dizer obrigatoriamente que ela a terá. Por exemplo, se na família do pai e da mãe existem casos de diabetes, hipertensão ou asma, é mais provável que o filho possa ter essas doenças. Por outro lado, a probabilidade de elas se manifestarem também pode depender da interação com o ambiente e hábitos.

• Prevenção

A boa notícia é que existem meios de tornar a manifestação dessas doenças menos graves ou mantê-las sob controle. Existem características específicas e singularidade de cada mal, porém uma vida saudável ajuda no âmbito geral. E mais: para o médico Jorge Carlovich, especialista em clínica médica, saber que existe a predisposição da doença pode até levar as pessoas a terem uma vida mais saudável. Se existe uma chance de a criança ter asma, os pais podem colocá-la na natação. Sabendo do diabetes, os hábitos alimentares devem ser mais controlados, sem consumo excessivo de açúcar. Assim, a pessoa pode ter a doença, mas não haver manifestação grave, porque foi bem orientado. Ela pode morrer com diabetes, não do diabetes, diz.


Confira as dicas:

- Reduza o consumo de alimentos calóricos, com muito açúcar ou gordura
- Mantenha as taxas de glicose, colesterol e triglicérides equilibradas
- Evite o estresse
- Não fume e evite o consumo de bebidas alcoólicas
- Pratique exercícios físicos regularmente
- Peça orientação sobre a doença ao seu médico e não se automedique

Fonte: Portal Vital



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato