Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[20/07/2018]
Sete casos de sarampo são confirmados no Estado
Todos os episódios têm ligação com a Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde foi registrado o primeiro caso da doença
[16/07/2018]
Doença sexualmente transmissível pouco conhecida se alastra e alarma médicos
Infecção bacteriana mycoplasma genitalium causa dores, secreções e, no caso das mulheres, pode levar à infertilidade
[06/06/2018]
Tratamento experimental curou câncer de mama em estágio avançado
O câncer, que já tinha se espalhado pelo corpo, foi derrotado pelas células da própria paciente – que foram colhidas, selecionadas, multiplicadas e reinjetadas
[04/06/2018]
Um em cada 4 adultos é sedentário, diz Organização Mundial da Saúde
OMS lança compromisso para diminuir falta de atividade física no mundo em 15% até 2030. Inatividade onera assistência em US$ 54 bilhões anuais, diz entidade.

+ mais   


Por que acelerar a frequência cardíaca é importante na hora dos exercícios?


29/09/2015


Elevação da frequência cardíaca aumenta a circulação de sangue e "lava" o organismo das impurezas

Pra que serve a frequência cardíaca? Ou, por que ela serviria para alguma coisa? Para entender isso, precisamos entender débito cardíaco. Débito cardíaco é a quantidade de sangue empurrado para o corpo a cada minuto. O cálculo é feito multiplicando a frequência cardíaca pelo volume de sangue empurrado a cada batimento.

Se vamos considerar que a quantidade de sangue a cada batimento aumenta com a vasodilatação do corpo, como a que acontece no calor do exercício, entendemos que com o aumento da frequência cardíaca conseguimos aumentar ainda mais a circulação do sangue. Com isso, levamos oxigênio ao corpo e "lavamos" o ácido lático (que provoca dor muscular) e impurezas dos tecidos do corpo ainda mais do que quando estamos parados.

Durante o exercício a elevação da frequência cardíaca acontece de forma gradual, progressiva, até um teto, que é diferente para cada pessoa. Dá para calcular que o teto é mais ou menos estimado pela formula 220 subtraindo-se a idade. Por exemplo, se tenho 20 anos, o ?teto? da minha frequência cardíaca é 200 batimentos por minuto, ou bpm.

A redução da frequência cardíaca quando acaba o exercício é súbita. Algumas pessoas, inclusive, podem sentir tonturas ao término do exercício, justamente por esta redução ser abrupta. Isso está relacionado ao sistema nervoso autônomo, que serve tanto para acelerar (sistema nervoso simpático) quanto para cortar o efeito do anterior (sistema nervoso parassimpático).

A aceleração muito rápida ou desaceleração que não acontece mesmo depois que o exercício acabou é um problema. Um motivo para a aceleração mais íngreme é a falta de condicionamento físico. Um motivo para a ausência de desaceleração pode significar arritmia cardíaca (problema no ritmo cardíaco).

Por estas e outras razões, antes de iniciar qualquer tipo de atividade física, é importante buscar avaliação de um profissional da área, que verificará como está a sua função cardiorrespiratória e indicará os exercícios que você está apto para fazer no momento.


Fonte: Minha Vida



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato