Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[15/03/2019]
Comer cogumelos duas vezes por semana reduz risco de perda de memória
Comer cogumelos ao menos duas vezes por semana pode ajudar a prevenir problemas de memória e fala em pessoas com mais de 60 anos.
[22/02/2019]
Minicérebros criados em laboratório no Rio têm até olhos
No futuro, testes dirão se os organoides podem enxergar; estruturas devem servir para entender doenças e avaliar medicamentos
[15/02/2019]
Gonorreia: por que a doença está ficando resistente a medicamentos
Bactéria responsável pela infecção sexualmente transmissível está desenvolvendo resistência aos antibióticos existentes
[14/02/2019]
Surto de febre amarela avança para Sudeste e Sul, alerta OMS
Em comunicado emitido em Brasília, entidade amplia área de vacinação para estrangeiros e aponta para terceira onda de contaminação

+ mais   


Vacina contra HIV será testada em humanos pela primeira vez


15/10/2015


Desenvolvida ao longo dos últimos 15 anos por Robert Gallo, a vacina contra HIV está prestes a começar a ser testada em seres humanos nos Estados Unidos.

De acordo com informações do portal Science Alert, o ensaio clínico da primeira fase envolverá 60 voluntários e testará simplesmente a segurança e a resposta do sistema imunológico à vacina, por isso, não será possível saber, por um tempo, se ela é de fato mais eficaz do que as outras 100 ou mais vacinas contra a AIDS que já foram testadas no passado. Todos os procedimentos serão executados em colaboração com a Profectus BioSciences, uma empresa de biotecnologia ligada ao Instituto de Virologia Humana. Inúmeros testes com macacos foram realizados antes dessa fase com seres humanos e os resultados foram positivos. Se continuarmos usando apenas macacos, não iremos a lugar nenhum, afirmou Robert Gallo, que também descobriu em 1984 que era o vírus HIV que desencadeava a AIDS.

Hoje em dia, os tratamentos disponíveis usam antirretrovirais, que apenas ajudam a controlar a progressão da infecção por HIV, mas não conseguem eliminar o vírus do organismo. Por isso, os médicos acreditam que a melhor maneira de combater a doença é desenvolvendo uma vacina efetiva.


Fonte: MdeMulher



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato