Rua Sorocaba, 706 - Botafogo
CEP: 22271-110 - Rio de Janeiro - RJ
Tel.:2103-1500 - Fax:2579-3713
E-mail: sac@clinicoop.com.br
Notícias

[19/09/2018]
Veja como usar o bicarbonato de sódio na limpeza de casa
Se você ainda não possui um saquinho de bicarbonato de sódio em casa, você deve comprar já.
[18/09/2018]
Varizes e AVC: tem relação?
Especialistas tiram dúvidas no Bem Estar.
[17/09/2018]
1 em 5 homens e 1 em 6 mulheres terão câncer em algum momento da vida
Dados são do último relatório estatístico sobre a situação do câncer no mundo, da Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer.
[13/09/2018]
Manchas e rugas podem indicar como andam órgãos importantes
Algumas manchas podem indicar resistência à insulina. As rugas em fumantes podem indicar obstruções no pulmão.

+ mais   


Dor de dente: o que está causando a sua?


15/01/2016


Dores normalmente indicam problemas que devem ser tratados pelo dentista

O que você faz quando tem uma dor de dente? A maioria das pessoas tendem a buscar formas de aliviá-la, o que realmente é útil enquanto você espera marcar a consulta com um odontologista. No entanto, se a dor passa, a maioria implesmente esquece o problema e deixa a consulta para lá. Mas aí está o perigo: "muitas vezes o paciente nem sabe ao certo qual a causa da dor, já que ela pode se irradiar e parecer estar ocorrendo em outros dentes", explica a odontologista Fabíola Lanfredi, especialista em ortopedia funcional dos maxilares e ortodontia. Portanto, o problema pode ser até mais grave do que você imagina.

A dor de dente é um sintoma de vários problemas dentais diferentes. "as causas podem estar relacionadas a diversas partes da boca, incluindo cáries, problemas periodontais (na gengiva), problemas endodônticos (no canal), traumas, problemas de oclusão...", enumera a odontologista Maristella Ramalho, especializada em endodontia. Veja a seguir a lista com as principais causas da dor de dente e a importância de buscar tratamento.


• Cáries

Não é à toa que a maioria das pessoas associa dores de dente a cáries: ela sem dúvidas é a culpada pela maior parte dessas queixas nas cadeiras dos dentistas. Normalmente as dores começam quando as lesões causadas pelas bactérias atingem camadas mais profundas dos dentes: "pode começar a doer quando as cáries chegam à dentina, a camada logo abaixo do esmalte. Porém, isto varia muito de pessoa para pessoa: existem casos em que o paciente apenas começa a sentir dor quando já atingiu a polpa, e tem que tratar canal", descreve a odontologista Maristella Ramalho, especializada em endodontia.

Nessas fases, apenas o tratamento com o dentista pode impedir o progresso da cárie, realizando alguma obturação ou mesmo tratando canal. "Mesmo quando a bactéria ainda está só no esmalte do dente, o ideal é que um dentista acompanhe, oriente e aplique flúor gel ou verniz fluoretado para acelerar o processo", considera a especialista.


• Dente do siso

O dente do siso pode causar dores em diversos estágios de seu nascimento: desde sua erupção até a falta de espaço na gengiva, que o leva a pressionar os dentes vizinhos, trazendo um deslocamento dolorido. "Mas a principal causa da dor é a inflamação da gengiva que o dente não erupsionado pode causar, já que a região não costuma ser acessada na hora da higienização, podendo infeccionar", descreve a odontologista Fabíola Lanfredi, especialista em ortopedia funcional dos maxilares e ortodontia.

É muito comum que a dor ligada ao siso passe, mas isso não significa que o problema está solucionado. Fabíola explica que inflamação pode passar, mas ela pode voltar a qualquer instante. Até porque o siso que não nasceu não consegue ser higienizado, ficando muito mais exposto à cáries e outros problemas. "O tecido da gengiva não adere ao esmalte do dente, apenas à raiz. Portanto, se ele não consegue subir, o organismo forma uma bolsa entre o esmalte e gengiva, um espaço propício à entrada de alimentos e formação de infecções", considera Fabíola.

Por isso, na maioria das vezes o siso dolorido precisa ser extraído, justamente para evitar esse tipo de complicação e a intervenção do dentista é fundamental nesses momentos.


• Abscesso dentário

O abscesso dentário nada mais é do que uma infecção próxima à raiz do dente, gengiva ou ossos, que forma uma bolsa de pus na região. "Mesmo com origens diferentes, de canal ou gengiva, eles costumam ocasionar dores de dente por serem infecções com formação de pus e inflamação aguda", ressalta Maristella Ramalho.

Muitas vezes o abscesso pode estourar, o que trará um gosto amargo à boca, além de alívio da dor. Mas com ou sem o seu rompimento, é preciso buscar um dentista para o tratamento, para que a infecção não se torne crônica. "Além do dano local, as bactérias existentes nesta lesão podem ser levadas pela corrente sanguínea e causar infecção de outros órgãos", alerta a odontologista.


• Sensibilidade da raiz dos dentes

Dentes sensíveis também podem trazer dor, mesmo havendo vários tipos: "a sensibilidade pode ocorrer devido à retração da gengiva, que expõe a raiz ou algum problema de oclusão, decorrente da má posição dos dentes, bruxismo e parafunção", diferencia Maristella Ramalho. Nesses casos, a dor pode ser desencadeada por diversos fatores, como alimentos frios ou quentes, doces ou mesmo o toque no dente.

De qualquer modo, a busca por um tratamento nesses casos é importante para a qualidade de vida do paciente. "Sensibilidade dentinária, ou seja, a não tolerância à temperatura dos alimentos, pode ser tratada com recobrimento de resina, enquanto sensibilidade devido a retração gengival podem até requerer uma cirurgia", enumera Fabíola Lanfredi


• Bruxismo

O bruxismo é uma doença em que a pessoa costuma ranger ou apertar os dentes, normalmente durante o sono, mas pode acontecer também durante a vigília. Dependendo da forma como isso ocorre, ele pode causar dores de dente. "Dependendo da força exercida no movimento, pode causar dor em dentes por trauma, mas é comum causar desgaste nos dentes sem nenhuma dor", explica Maristella.

Nesses casos, a dor pode vir da articulação temporomandibular (ATM), que acaba se estressando com o movimento. É comum que a dor se reflita para os dentes, entre outros pontos comuns da cabeça, como as têmporas, fronte e ouvido. "De qualquer modo, quando a dor aparece, indica que o problema está em estágio avançado, quando já está comprometendo a musculatura e ATM", ressalta a odontologista.

Nesses casos é preciso procurar um odontologista ou cirurgião bucomaxilo, que poderão indicar os tratamentos mais adequados. O ATM não tratado só piora, causando mais dores e desconfortos.


• Sinusite ou dor de ouvido

A dor de dente irradiada não ocorre apenas em disfunções da ATM. Dores em estruturas próximas, como no ouvido, podem se refletir na região. Além disso, a sinusite pode se causar dor nos dentes superiores. "A sinusite é a infecção da mucosa que reveste o sinus, cavidade que se localiza acima dos pré-molares e molares superiores, em relação íntima com suas raízes", destaca Maristella.

Por isso, os odontologistas devem estar preparados para perceber esses casos e encaminhar o paciente para o otorrinolaringologista. "Normalmente o paciente busca o dentista por dor de dente, não encontra nada e aí a sinusite e a dor de ouvido são opções que tem de ser descartadas por um médico", ressalta Fabíola.


Fonte: Minha Vida



Bookmark and Share

< voltar   
Home     |     Clínica     |     Especialidades     |     Corpo clínico     |     Localização     |     Contato